Tempo
|
A+ / A-

​Meghan acusa Buckingham de “perpetuar falsidades” sobre si e príncipe Harry

04 mar, 2021 - 14:06 • BBC

Casal foi entrevistado pela apresentadora Oprah Winfrey. As declarações acontecem numa altura em que o Palácio de Buckingham investiga se a duquesa terá praticado bullying contra funcionários da realeza.

A+ / A-

A duquesa de Sussex, Meghan Markle, acusa o Palácio de Buckingham de "perpetuação de falsidades" sobre o casal.

O comentário foi feito durante uma entrevista com a apresentadora de televisão Oprah Winfrey, quando questionada sobre como se sentia sobre o palácio poder ouvir "a sua verdade hoje".

As declarações acontecem numa altura em que o Palácio de Buckingham investiga se a duquesa terá praticado "bullying" contra funcionários da realeza.

A entrevista com a apresentadora, que será transmitida nos Estados Unidos no próximo domingo e no Reino Unido na segunda-feira, deve detalhar o curto período de Harry e Meghan como membros da realeza trabalhando juntos antes de renunciarem a seus cargos para nos Estados Unidos.

"Não sei como poderiam esperar que, depois de tanto tempo, ainda ficaríamos em silêncio enquanto a ‘The Firm’ [como é chamada a realeza britânica] desempenha um papel ativo em perpetuar falsidades sobre nós", diz Meghan no vídeo de 30 segundos já revelado pela emissora de TV americana CBS.

O duque e a duquesa de Sussex deixaram de ser membros seniores da realeza britânica em março de 2020 e vivem agora no estado norte-americano da Califórnia.


Em causa está uma recente reportagem do jornal britânico “The Times” que garante que a duquesa foi alvo de uma queixa quando ainda fazia parte da realeza.

De acordo com a denúncia, o episódio aconteceu em outubro de 2018, enquanto o duque e a duquesa viviam no Palácio de Kensington, já depois do casamento, realizado em maio daquele ano.

O jornal teve acesso a um e-mail divulgado por um funcionário que alega que Meghan teria provocado a demissão de duas assistentes pessoais, uma delas um mês após assumir o posto. A outra profissional já trabalhava para a rainha Isabel II há 17 anos.

Segundo o mesmo e-mail, a duquesa teria ainda "abalado a confiança" de uma terceira funcionária.

Na reação, o Palácio de Buckingham - responsável pela contratação da equipa real - disse estar "muito preocupado com as alegações do ‘The Times’" e garantiu que os Recursos Humanos examinariam as circunstâncias descritas na reportagem.

"A Casa Real tem uma política de Dignidade no Trabalho em vigor há vários anos e não tolera e não tolerará intimidação ou assédio no local de trabalho", lia-se no comunicado.

As acusações de bullying são negadas por Meghan e pelo príncipe Harry.

"A duquesa está entristecida por este último ataque à sua pessoa, particularmente como alguém que foi alvo de bullying e está profundamente comprometida em apoiar aqueles que passaram por dor e trauma”, refere um comunicado escrito do porta-voz da duquesa.

"Ela está determinada a continuar seu trabalho construindo compaixão mundo afora e continuará se esforçando para dar o exemplo de fazer o que é correto e fazer o que é bom", acrescentava.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+