Tempo
|
A+ / A-

Estudo da Liga Portugal

​Portugal atrás do "top-5" da Europa em tempo útil de jogo, passes, golos e faltas

04 mar, 2021 - 13:15 • Pedro Azevedo

Estudo da Liga, entre as oito principais competições do velho continente, incluindo Liga dos Campeões e Liga Europa, prova que Portugal tem os registos mais negativos, sendo um árbitro português o que mais faltas apita.

A+ / A-

A Liga portuguesa está a atrás dos principais campeonatos da Europa, a nível de tempo útil de jogo, paragens de jogo, número de faltas e golos. É a conclusão de um estudo apresentado pela Liga Portugal no Thinking Foootball Summit 2021, um "webinar" que contou com mais de mil inscritos.

O estudo inclui a análise estatística de 4 mil jogos das oito principais provas da Europa. Os seis campeonatos mais importantes (Inglaterra, Itália, Alemanha, Espanha, França e Portugal) e as competições da UEFA de clubes (Liga dos Campeões e Liga Europa).

A primeira conclusão confirma números muito baixos de tempo útil de jogo na Liga portuguesa de futebol: 52% em média. A Bundesliga regista o tempo útil mais alto com 57%. O estudo comprova também que os jogos com mais tempo útil de jogo têm mais passes e menos faltas, cartões e paragens.

Na presente época desportiva, o jogo com menos tempo útil foi o Belenenses SAD-Nacional (2-1) com 43,9%, arbitrado por Miguel Nogueira. Num plano diametralmente oposto, o jogo com mais tempo útil foi o Famalicão-Gil Vicente (0-1) com 66,5%, dirigido por Artur Soares Dias.

Liga Portuguesa à frente nas paragens dos jogos

Portugal é também o país da Europa com mais paragens nos jogos. Em média, um jogo da Liga portuguesa regista 110 paragens. Na Premier League a média é de 92. A prova com menos paragens é a Liga dos Campeões com 91 por jogo.

Os registos negativos do campeonato português também contemplam a eficácia de passes. A I Liga é a pior entre as principais da Europa em matéria de passes acertados. As provas com maior eficácia de passe são a Liga dos Campeões, a Série A italiana e a Premier League.

Nos remates, só a Espanha fica atrás de Portugal. A Liga espanhola tem uma média de remates por jogo de 22,0. Portugal tem 23,2. O campeonato com mais remates é o italiano com média de 27,2.

A Liga com menos golos e mais faltas

Já em matéria de golos, Portugal e Espanha partilham juntos a cauda da tabela europeia com uma média de 2,5 golos por jogo. A Alemanha lidera a lista com 3,1.

Nas faltas Portugal é o rei do velho continente. 32 faltas em média por jogo. Mais 10 que na Premier League. Mas há um dado ainda mais preocupante. 67% dos jogos da Liga Portuguesa têm mais de 30 faltas. Na Premier League, só 8% dos jogos têm um número de faltas superior a 30. Curiosamente, as equipas portuguesas fazem menos faltas quando jogam nas provas europeias. O FC Porto menos 11%, o Sporting 18%, o Benfica 30% e o Braga menos 25%.

Ninguém na Europa apita mais faltas que Fábio Veríssimo

Os árbitros portugueses são dos que mais apitam durante os jogos. Fábio Veríssimo é o número 1 da Europa em número de faltas quer quando dirige jogos da Liga Portuguesa (média de 31,3) quer quando apita nas provas da UEFA (32,5).

Artur Soares Dias é o terceiro árbitro da europa que mais faltas assinala nas provas nacionais (28.9 em média). Mas quando dirige jogos nas competições da UEFA, o juiz portuense é mais comedido, apitando menos 21% das faltas. Tiago Martins também apita menos lá fora. Na Liga Portuguesa regista uma média de 27,6 faltas. Na UEFA a média desce 8%.

Em suma, entre as oito principais competições da Europa de futebol, a Liga portuguesa de futebol é a pior em tempo útil, faltas, paragens, golos, passes acertados.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+