Tempo
|
A+ / A-

Agência Europeia do Medicamento decide sobre vacina da Johnson & Johnson a 11 de março

02 mar, 2021 - 18:11 • Hélio Carvalho

Caso seja autorizada, a União Europeia vai receber 200 milhões de doses da vacina no segundo trimestre de 2021. Portugal recebe 1,25 milhões.

A+ / A-

A Agência Europeia do Medicamento (EMA, na sigla em inglês) vai reunir no dia 11 de março para decidir sobre a autorização da vacina da Johnson & Johnson (J&J) na União Europeia.

No passado domingo, a ministra francesa da Indústria, Agnès Pannier-Runacher, revelou que, após a autorização, a vacina deve começar a ser distribuída até Abril.

Pannier-Runacher afirmou no domingo, ao canal France 3, que a EMA está a “rever todas as informações que a J&J lhe comunicou para poder colocar essa vacina no mercado”. Após a autorização, que pode então chegar a meio de Março, a Comissão Europeia terá de decidir sobre a comercialização da vacina da J&J pelos Estados-membros.

Ursula von der Leyen, presidente da Comissão Europeia (CE), já adiantou que a comissão só está à espera da autorização da EMA para autorizar a distribuição. Um porta-voz da CE admitiu esta terça-feira que está em cima da mesa a aprovação de emergência de vacinas para acelerar a imunização da população europeia. “Estamos prontos para refletir com os Estados-membros sobre todos os caminhos possíveis para acelerar a aprovação de vacinas”, disse o porta-voz aos jornalistas, depois de mais um encontro da CE analisar a luta contra a covid-19.

A EMA não pode conceder autorizações de emergência; no entanto, a autoridade já fez recomendações sobre medicamentos antes destes serem autorizados, como foi o caso do remdesivir, que foi recomendado em Abril de 2020 antes de ser aprovado oficialmente.

A autorização da vacina da J&J, desenvolvida pela farmacêutica Janssen, seria um grande apoio ao esforço para vacinar a população europeia contra a covid-19, já que é de dosagem única e não necessita de sistemas de refrigeração mais complexos, como é o caso da vacina da Pfizer. Os ensaios clínicos revelaram que a sua eficácia é de 85% contra os casos mais graves de covid-19.

O presidente da Autoridade Nacional do Medicamento (Infarmed), Rui Santos Ivo, disse em fevereiro que as primeiras doses desta vacina devem chegar no segundo trimestre deste ano. No total, a União Europeia vai receber nesse trimestre 200 milhões de doses (1,25 milhões destinadas para Portugal).

Caso seja aprovada, a vacina da J&J junta-se às vacinas desenvolvidas pela Pfizer/BioNTech e pela Moderna ao lote de vacinas disponíveis na União Europeia. Os Estados Unidos aprovaram a vacina da J&J no passado sábado.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+