Tempo
|
A+ / A-

Autárquicas

IL vai reunir-se com Moedas e quer PSD e CDS sem "hábitos socialistas"

27 fev, 2021 - 15:45 • Lusa

A Iniciativa Liberal vai reunir-se com o candidato à Câmara de Lisboa para explorar eventuais "pontos de convergência".

A+ / A-

A Iniciativa Liberal (IL) vai reunir-se com o candidato à Câmara de Lisboa Carlos Moedas para explorar eventuais "pontos de convergência", avisando que não basta libertar a autarquia do PS, mas também que PSD e CDS deixem "hábitos socialistas".

O líder do PSD, Rui Rio, anunciou esta semana o ex-comissário europeu Carlos Moedas como candidato à Câmara de Lisboa nas próximas autárquicas, um "nome forte", segundo o presidente do CDS-PP, Francisco Rodrigues dos Santos, e que reuniu "um sólido consenso entre as direções do CDS e do PSD".

Numa posição oficial enviada, este sábado, à agência Lusa, os liberais referem que "depois da comunicação social ter anunciado a candidatura de Carlos Moedas", este contactou o presidente da Iniciativa Liberal (IL), João Cotrim Figueiredo, para agendar uma "primeira conversa para explorar eventuais pontos de convergência", encontro esse que ficou marcado para o início da semana.

"Como sempre tem feito, a IL não subalterniza as suas ideias em prol de cargos ou ilusórios sucessos eleitorais. Não basta libertar Lisboa do socialismo do PS, é preciso também que PSD e CDS se libertem dos seus hábitos, muitas vezes também, socialistas", avisa, segundo a mesma nota.

Os liberais reafirmam que a sua estratégia eleitoral autárquica passa por "apresentar candidaturas próprias", motivo pelo qual as exceções implicam "uma análise ponderada" do partido.

"Essa análise passa pela verificação, em conjunto com o núcleo da IL de Lisboa, de eventuais pontos comuns a nível político e no plano programático que se insiram na defesa do projeto liberal da lL, numa perspetiva de longo prazo de que não abdicamos", explica.

Na quinta-feira, aquando do anúncio de Carlos Moedas após uma reunião com o antigo comissário europeu na sede do partido, Rui Rio considerou que esta candidatura a "melhor solução" para a Câmara Municipal de Lisboa, defendendo que o partido não está obrigado a vencer na capital, mas que tinha de apresentar "uma candidatura forte".

No dia seguinte, também após uma reunião com Moedas, o presidente do CDS-PP admitiu a abertura a outros partidos, como a Iniciativa Liberal, da coligação autárquica com o PSD em Lisboa, mas ressalvou que essa possibilidade seria avaliada "mais adiante".

Nas últimas autárquicas, em 2017, PSD e CDS-PP concorreram separados à Câmara Municipal de Lisboa, numas eleições ganhas pelo socialista Fernando Medina, que obteve 42% dos votos e perdeu a maioria absoluta na capital.

A então líder do CDS-PP Assunção Cristas ficou em segundo lugar, com 20,6% (perto de 52 mil votos), numa candidatura apoiada também por MPT e PPM e que elegeu quatro vereadores. .

Nessa eleição, o PSD teve como candidata a então deputada Teresa Leal Coelho, que ficou em terceiro lugar, com 11,2% (correspondentes a pouco mais de 28 mil votos), elegendo dois vereadores.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+