Tempo
|
A+ / A-

Quaresma. Capela do Rato em Lisboa promove encontros online

23 fev, 2021 - 18:45 • Ana Lisboa

Vão ser três encontros marcados por testemunhos de "pessoas integradas em comunidades religiosas/monásticas".

A+ / A-

A comunidade da Capela do Rato, em Lisboa, vai organizar durante o período da Quaresma um ciclo de três encontros com o tema "Do claustro para o mundo, do mundo para o claustro. Comunhão solidária de esperanças e angústias".

Em comunicado dizem que "através de uma dinâmica de testemunhos e partilha de experiências, procura-se estimular uma imaginação criativa da tradicional prática penitencial do jejum, da esmola (caridade) e da oração"

A nota informa que "essa partilha será feita por pessoas integradas em comunidades religiosas/monásticas, procurando estabelecer pontos de convergência entre a vida religiosa em comunidade e o atual contexto das nossas famílias em confinamento".

O primeiro encontro online está marcado para o dia 3 de Março às 19h00. Os outros dois serão, sempre à mesma hora, nos dias 10 e 17 de Março.

Os encontros serão transmitidos pela Plataforma Zoom.

Também podem ser acompanhados através das redes sociais e no site da Capela do Rato.

Segue o programa dos encontros:

3 março: 19h

"Era estrangeiro e me acolheste"

Abrir a casa e o coração ao estranho

Ermanno Savarino, Padres da Consolata (Cacém-Lisboa)

10 de março: 19h

"Nem só de pão vive o ser humano"

O jejum: espaço para a hospitalidade

Fr. Carlos Antunes, monge cisterciense do Mosteiro do Sobrado (Galiza – Espanha)

17 de março: 19h

"Entra no teu quarto e reza em segredo"

A fecundidade do silêncio e da solidão

Ir Maria do Carmo Tovar, monja beneditina do Mosteiro de Santa Escolástica (Roriz – Porto)

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+