Tempo
|
A+ / A-

CDS defende plano de desconfinamento à inglesa

23 fev, 2021 - 17:37 • Redação

Francisco Rodrigues dos Santos "exige do Governo um calendário transparente e previsível sobre a evolução das regras de saúde pública nos próximos três meses".

A+ / A-

Veja também:


O presidente do CDS, Francisco Rodrigues dos Santos, defende um calendário de desconfinamento gradual ao longo de três meses, à semelhança do que foi anunciado esta semana pelo Reino Unido.

No final de uma audiência com o Presidente da República sobre a renovação do estado de emergência, o líder do CDS "exige do Governo um calendário transparente e previsível sobre a evolução das regras de saúde pública nos próximos três meses".

Francisco Rodrigues dos Santos considera que este plano de "desconfinamento progressivo e gradual nas áreas da educação, nos contactos sociais, nos negócios e nas atividades, nos eventos e também nas viagens” é "fundamental para dar segurança, tranquilidade, esperança e previsibilidade a famílias, empresários e trabalhadores".

O líder do CDS defende o exemplo seguido pelo Governo inglês, "que planeou entre 8 de março e 21 de junho todas as regras e a evolução das mesmas durante este período de modo a que sejam claras e transparentes para todos os cidadãos".

Portugal regista esta terça-feira mais 63 e 1.032 novos casos de Covid-19, avança o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde. Há menos 310 pessoas com o novo coronavírus internadas nos hospitais portugueses, num total de 3.012 pacientes, o valor mais baixo desde 2 de janeiro.

Um dia depois de mais uma reunião com especialistas na sede do Infarmed, Francisco Rodrigues exige do Governo "a definição de indicadores objetivos que permitam o desconfinamento e esses indicadores ainda não foram dados".

Francisco Rodrigues dos Santos, no final da audiência com o Presidente da República, aproveitou para falar sobre a lei da Eutanásia, enviada para fiscalização sucessiva por Marcelo Rebelo de Sousa.

O CDS espera que os juízes do Tribunal Constitucional não se deixem condicionar por notícias sobre posições individuais tidas noutros tempos.

[notícia em atualização]

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+