Tempo
|
A+ / A-

Reunião Infarmed

Covid-19. Chega lamenta Portugal tenha passado de “milagre” a “péssimo caso”

22 fev, 2021 - 21:46 • Lusa

André Ventura, líder demissionário do partido, acusa o Governo de "ziguezaguear e o Presidente da República hesitante no que deve fazer e ninguém quer assumir responsabilidades e o país continua completamente parado”.

A+ / A-

Veja também:


O deputado único do Chega lamentou hoje que Portugal tenha passado de uma situação pandémica de “milagre”, que disse ter sido apontado pelos socialistas, para ser agora um “péssimo caso” em termos de números da covid-19.

“Assistimos hoje a uma situação caricata. No próximo dia 08 de março, o Reino Unido, que era apresentado como um mau caso, vai começar a desconfinar. Saímos hoje da reunião do Infarmed com o sentido de que temos de manter nós o confinamento. Portugal passou do milagre que os socialistas apontavam para ser um péssimo caso”, disse André Ventura, em declarações aos jornalistas no parlamento, após a 16.ª reunião entre peritos e responsáveis políticos sobre a situação epidemiológica.

“Portugal vai ficar confinado, pelo menos, até final de março e, provavelmente, em abril, vai haver um desconfinamento muito faseado e gradual. Ambiente político que se viu foi o que vamos manter tudo como está”, criticou Ventura, apelando a mais apoios às empresas e negócios em risco.

Segundo o líder demissionário do partido da extrema-direita parlamentar, “o Governo anda a ziguezaguear e o Presidente da República hesitante no que deve fazer e ninguém quer assumir responsabilidades e o país continua completamente parado”.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+