Tempo
|
A+ / A-

2021

Bruxelas piora previsões do crescimento português

11 fev, 2021 - 09:59 • Vasco Gandra com Lusa

Nas previsões de inverno da Comissão Europeia, Espanha deverá ser a economia que mais cresce.

A+ / A-

A Comissão Europeia fez uma revisão em baixa das perspetivas de recuperação económica de Portugal para 2021. Nas previsões de inverno, divulgadas esta quinta-feira, Bruxelas aponta para um crescimento do PIB de 4,1% do PIB, menos 1, 3 pontos percentuais do que nas previsões de outono.

Segundo o documento, a evolução da pandemia e as atuais medidas de confinamento vão ter um impacto significativo na atividade económica.

O PIB deverá cair no primeiro trimestre de 2021, antes de começar a recuperar a partir do segundo trimestre do ano, em particular nos meses de verão.

Esta recuperação, segundo a previsão da União Europeia ficará a dever-se ao turismo, num cenário de levantamento das restrições às viagens dentro da União Europeia.

As previsões divulgadas agora pelo executivo comunitário colocam os números portugueses acima dos da zona euro, já que Bruxelas aponta para um crescimento de 3,8% no bloco dos países da moeda única, tanto em 2021 como em 2022.

Bruxelas diz ainda que, no que diz respeito ao PIB, “é esperado um regresso completo aos níveis de pré-pandemia perto do final de 2022, mas os riscos permanecem significativos devido à grande dependência do país do turismo externo, que continua a enfrentar incertezas relacionadas com a evolução da pandemia”.

Nestas previsões, Bruxelas refere que Espanha deverá ser o país com maior crescimento em 2021.

A Comissão Europeia prevê que a economia espanhola cresça 5,6% em 2021, depois de em 2020 ter sido o Estado-membro mais penalizado pela Covid-19 com uma queda de 11% do PIB.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+