Tempo
|
A+ / A-

Capela do Rato debate a economia de Francisco

26 jan, 2021 - 17:51 • Ana Lisboa

A conversa, marcada para esta quarta-feira terá como participantes um frade franciscano, dois participantes do encontro de Assis e dois gestores.

A+ / A-

Com o propósito de dar um pequeno contributo para a reflexão sobre “A Economia de Francisco”, que decorreu no final de novembro em Assis, Itália, a Capela do Rato, em Lisboa, lançou o desafio para "uma conversa sobre as pistas e os caminhos para uma economia mais humana e mais justa".

Participam o frade franciscano Hermínio Araújo, dois gestores, José Theotonio e Paulo Lopes, consultor de empresas e responsável do núcleo da Associação Cristã de Empresários e Gestores, do Algarve. E ainda dois dos participantes do encontro de Assis, Francisco Maia, jovem empresário e Rita Sacramento Monteiro, formada em comunicação e escuteira.

O debate vai decorrer via Zoom, a partir das 21h30 desta quarta-feira, 27 de janeiro. Para entrar na sessão deve utilizar este link, com o código ID 814 6915 5308 e a senha de acesso 966193.

A “Economia de Francisco”

Em maio de 2019, o Papa Francisco, inspirado em S. Francisco de Assis, dirigiu uma carta aos jovens de todo o mundo desafiando-os a prepararem e a realizarem um encontro, tendo como propósito o lançamento de bases para uma transformação económica, mais centrada na pessoa e voltada para o cuidado do nosso planeta, a nossa “Casa Comum”.

Durante um ano e meio, os jovens de todo o mundo envolveram-se e prepararam com grande entusiasmo este encontro.

Reuniram numa plataforma mundial contributos e propostas de ação para uma "economia mais humana e um futuro mais sustentável".

Ao longo de três dias, entre 19 e 21 de novembro de 2020, o encontro decorreu a partir de Assis e com ligação vídeo a todo o mundo, com milhares de jovens participantes que dialogaram com personalidades da economia, finanças, teologia, filosofia, gestão de empresas, assim como do ativismo cívico e social.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+