Tempo
|
A+ / A-

Bélgica. Proibidas viagens não essenciais ao estrangeiro entre 27 de janeiro e março

23 jan, 2021 - 08:34 • Lusa

Decisão visa conter a disseminação do novo coronavírus e das variantes recentemente surgidas.

A+ / A-

Veja também:


A Bélgica interditou a sua população de fazer viagens não essenciais ao estrangeiro, a partir da próxima quarta-feira até 1 de março, para travar a propagação da pandemia.

Esta decisão visa conter a disseminação do novo coronavírus e das variantes recentemente surgidas, proibindo as “viagens de lazer”, através de controlos de fronteira e impondo multas aos infratores.

Os trabalhadores fronteiriços não serão afetados por esta medida.

A Bélgica, com 11,5 milhões de habitantes, é um dos países europeus mais afetados pela pandemia de Covid-19, tendo já registado a morte de mais de 20 mil pessoas.

Embora as autoridades considerem ter contido a segunda vaga (registando agora apenas cerca de 2.000 novos casos por dia) do que alguns dos seus vizinhos, como a Alemanha e a Holanda, a contagiosidade da variante britânica do vírus está a provocar sérias preocupações.

"É preciso entender que estamos numa situação totalmente excecional", disse a chefe da diplomacia belga, Sophie Wilmès.

Esta “situação excecional” levou o Governo a lançar um apelo aos seus parceiros da União Europeia para que também proíbam viagens não essenciais ao estrangeiro (incluindo dentro da área de livre circulação de Schengen).

Durante quase três meses, para conter a segunda vaga da pandemia, a Bélgica foi parcialmente confinada, com escolas abertas, mas vários setores de atividade fechados (cafés, restaurantes, teatros, desportos e salões de cabeleireiro.

A pandemia provocou, pelo menos, 2.092.736 mortos resultantes de mais de 97,4 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+