Tempo
|
A+ / A-

Desaparecimento de enfermeira do Santa Maria investigado por polícias, proteção civil e hospitais

21 jan, 2021 - 17:00 • João Carlos Malta

As diligiências para encontrar a enfermeira Célia estão em curso. A família continua em alerta e a Polícia Judicária está no terreno.

A+ / A-

Veja também:


A enfermeira do Hospital Santa Maria, em Lisboa, que está desaparecida desde segunda-feira ainda não foi encontrada. As polícias, a proteção civil e os hospitais estão todos envolvidos nas ações de busca a esta mulher de 49 anos.

Fonte da PSP avançou à Renascença que aquela Polícia "continua a efetuar diligências no sentido de encontrar a cidadã na área de Lisboa, uma vez que foi aqui que ela foi vista pela última vez e é a área de residência - embora estejam outras entidades do país sob alerta".

A mesma força de segurança acrescenta que continua "em contacto com a família para saber se houve alguma alteração face à participação inicial, o que não se verificou até agora".

A Renascença sabe que a Polícia Judiciária está no terreno a investigar o caso.

Célia Paula, segundo fonte da polícia, citada na publicação dos bombeiros de Camarate no Faceebook, na última segunda-feira, "a enfermeira sofre neste momento de pressão na luta contra a Covid-19 e de 'alguns problemas de saúde, nomeadamente psicológicos'”.

Já esta quinta-feira, o comandante dos bombeiros de Camarate, Luís Martins, avançou à Renascença que ainda não tiveram nenhuma novidade sobre o paradeiro de Célia. A vontade desta corporação era poder-se juntar às buscas. O pedido para a publicação da mensagem de alerta do desaparecimento surgiu através de uma amiga de umas das filhas da enfermeria do Hospital de Santa Maria.

Célia Paulo “vestia calças verdes e casaco vermelho” quando os filhos a viram pela última vez.

Uma fonte familiar, citada na publicação dos Bombeiros de Camarate, adianta que “o cansaço extremo” da enfermeira pode ter levado ao episódio de desorientação.

Quem tenha informações sobre esta mulher deve contatar os números: 962 837 609, 936 653 859 e 916 381 231.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+