Tempo
|
A+ / A-

Estado de Emergência

Pro.Var pede confinamento total para controlar a pandemia mais rápido

19 jan, 2021 - 01:27 • Ana Carrilho

Daniel Serra reconhece que uma medida do género traz ainda mais dificuldades ao setor, mas será a única forma de controlar a pandemia, permitindo, posteriormente, uma retoma da atividade do setor.

A+ / A-
seg daniel serra
seg daniel serra

Veja também:


A associação do setor da restauração Pro.Var defende um confinamento total para controlar a pandemia da Covid-19.

Em declarações à Renascença, na sequência do reforço das medidas de confinamento anunciadas esta segunda-feira pelo primeiro-ministro, após o Conselho de Ministros extraordinário, o presidente da Pro.Var sublinhou que, apesar dos danos económicos que atingem a restauração, o confinamento total será a única forma de controlar a pandemia, permitindo, posteriormente, uma retoma da atividade do setor.

Para Daniel Serra, “o setor da restauração tem sido um dos mais fustigados e, portanto, o mais interessado que a pandemia seja controlada”.

“Estamos, obviamente, preocupados com a questão económica, mas estamos mais preocupados com o controlo da pandemia, porque, sem isso, não veremos a nossa situação resolvida nos próximos meses”.

É por essa razão que presidente da Pro.Var defende “um endurecimento das regras a nível geral, porque as medidas para a restauração já são severas. O confinamento devia ser total, para que isto fosse rapidamente ultrapassado”, argumenta.

Comentando, em particular, a proibição de venda de produtos alimentares e bebidas ao postigo por tempo indeterminado, Daniel Serra fala de uma medida que pode ser “trágica”, sobretudo para “cafés e pastelarias que, ao postigo, ainda vendiam alguma coisa” e “ficarão sem qualquer tipo de receita e não sabemos quanto tempo é que isto vai durar”, conclui Daniel Serra.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+