Tempo
|
A+ / A-

Plataforma de Apoio aos Refugiados diz que presidência portuguesa da UE pode ser "ponte" entre países do Sul e do Leste

18 jan, 2021 - 11:11 • Henrique Cunha

O presidente da Plataforma de Apoio aos Refugiados diz que Portugal "pode ajudar a construir uma política dialogante e ativa na procura de passos concretos nas políticas migratórias”.

A+ / A-

O presidente da Plataforma de Apoio aos Refugiados (PAR), André Costa Jorge, considera que a presidência Portuguesa da União Europeia pode “assumir um papel de ponte entre os países do Sul da europa e os do Leste que tem uma posição desfavorável às migrações”.

André Costa Jorge entende que “o nosso país pode ajudar a construir uma política dialogante e ativa na procura de passos concretos nas políticas migratórias”.

Portugal “deve fazer a promoção de canais legais de migração” e o “Governo português tem manifestado esta bandeira que nós também subscrevemos”, sublinha o presidente da PAR.

O responsável reconhece que “Portugal não é um destino de chegada de migrantes, sendo um país do sul da europa, não é um país da zona mediterrânea”, mas “é um país que tem manifestado uma postura acolhedora, digamos pró-emigração e também tem uma tradição de diálogo com os outros países da europa”. Por isso, "pode ajudar na construção de uma política dialogante, ativa no sentido de dar passos concretos nas políticas migratórias e naquilo que é a política europeia migratória”.

Para André Costa Jorge, a presidência Portuguesa da União Europeia também terá êxito “se conseguir melhorias no pacto europeu sobre migração”. O presidente da PAR refere que “a proposta da comissão europeia de 23 de setembro pode ser melhorada nas dimensões que na nossa opinião estão em falta, nomeadamente uma perspetiva mais humanitária e mais eficaz de proteção ao migrantes”.

“Eu creio que, se no final deste semestre, forem feitos avanços no espaço europeu que permitam uma visão clara e uma politica clara de proteção aos migrantes e uma perspetiva positiva sobre a emigração e sobre a importância das migrações no espaço europeu, poderemos falar de uma presidência portuguesa com um balanço extremamente positivo”, aponta.

Manutenção de António Guterres na ONU “honra Portugal”

O presidente da Plataforma de Apoio aos Refugiados acredita na recondução de António Guterres como secretário-geral das Nações Unidas.

André Costa Jorge considera uma boa noticia a sua recandidatura “em primeiro lugar porque é alguém a quem todos reconhecemos enormes capacidades, e com uma forte ligação às questões humanitárias”. O Presidente da PAR refere que “para além do prestígio que isso traz para o país, também traz imensa responsabilidade”; e adianta que “as competências e qualidades do Engenheiro Guterres irão com certeza levar à sua reeleição”. “Num mundo abalado por várias questões graves, crises, conflitos e também pela pandemia, eu creio que um homem com a dimensão humanista de António Guterres é a pessoa certa para o lugar certo”, sublinha.

No entendimento da PAR, a reeleição de António Guterres como secretário-geral das Nações Unidas “contribuirá para um clima mais favorável para a construção de uma sociedade mais solidária”.

“Tenho a esperança de que no final de todo este processo que a pandemia nos veio trazer possamos todos perceber que somos interdependentes. Pois, o mundo não se faz com uns sobre outros, com os mais fortes sobre os mais fracos, os mais ricos sobre os mais pobres. Temos de compreender que as respostas têm de ser encontradas na interdependência, na complexidade da interdependência”, conclui o presidente da PAR.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+