Tempo
|
A+ / A-

Pandemia de Covid-19

Torres Vedras cancela todos os festejos de Carnaval

18 jan, 2021 - 16:27 • Lusa

Autarquia admite que "a proximidade e espontaneidade do carnaval de rua seriam impossíveis sem graves repercussões para a saúde pública".

A+ / A-

Veja também:


A Câmara de Torres Vedras cancelou todos os festejos de Carnaval devido à pandemia de Covid-19, o que ocorre pela segunda vez em quase um século de tradições, foi anunciado esta segunda-feira.

"Face à evolução da pandemia de Covid-19 em todo o território nacional, e em particular no território de Torres Vedras, a organização do Carnaval de Torres Vedras optou pela não realização de quaisquer atividades de Carnaval", é referido num comunicado deste município do distrito de Lisboa hoje divulgado.

Em outubro, a autarquia tinha anunciado que "a Máscara" seria o tema da edição de 2021 e, apesar de afastar a hipótese de haver os habituais corsos, chegou a ponderar realizar alguns eventos como a inauguração do monumento alusivo ao Carnaval, a chegada dos Reis do Carnaval e a inauguração do museu alusivo ao Entrudo, em 12 de fevereiro, e o enterro do Entrudo, em 17 de fevereiro, com limitação de participantes.

Para tal, pediu parecer à Direção-Geral de Saúde, o qual foi obtido na sexta-feira e dá conta que "eventos de qualquer índole, em contexto de pandemia, podem acarretar riscos acrescidos para a saúde pública".

Na nota de imprensa, a autarquia admite que "a proximidade e espontaneidade do carnaval de rua seriam impossíveis sem graves repercussões para a saúde pública".

Para assinalar a ausência do Carnaval e homenagear todos os profissionais que trabalham na linha da frente na prevenção e combate à pandemia, o município vai inaugurar, em 12 de fevereiro, o monumento intitulado "a máscara" na Praça da República, no centro da cidade, onde ficará exposto durante um mês.

Em 1984, o Carnaval de Torres Vedras também não se realizou devido às cheias ocorridas meses antes na cidade.

O Carnaval de Torres Vedras, que em 2019 teve um orçamento de 800 mil euros, recebe cerca de meio milhão de visitantes durante os seis dias do evento e gera receitas de 10 milhões de euros na economia local.

A não realização do Carnaval de Torres Vedras 2021 surge no mesmo ano em que foi iniciada a consulta pública da sua candidatura a Património Nacional Imaterial, devendo a decisão sobre a inscrição ser tomada até junho pela Direção-Geral do Património Cultural.

São características dos festejos a chegada e entronização dos reis, o julgamento e enterro do Carnaval e as matrafonas (homens com roupas e acessórios habitualmente usados por mulheres).

O Carnaval de Torres Vedras insere-se nas tradições do Entrudo português, cujas raízes remontam às festas pagãs relacionadas com as festas de inverno e os cultos de fertilidade e da abundância no início da primavera, incluídos pelo Cristianismo no calendário litúrgico.

Considerada uma festividade urbana, o Carnaval de Torres Vedras remonta a 1930, quando a elite local republicana e um grupo social comercial/industrial emergente começou a organizar o primeiro corso, com carros alegóricos, batalhas de flores e inspiração nos modelos carnavalescos franceses e italianos.

Contudo, dadas as características também rurais do concelho, apresenta em simultâneo algumas reminiscências do Entrudo rural, como o enterro do Entrudo na Quarta-feira de Cinzas, o cortejo fúnebre e o julgamento, condenação e queima do rei.

Desde o início da pandemia, Torres Vedras contabiliza 3.346 casos confirmados de Covid-19, dos quais 1.012 estão ativos, 2.284 recuperaram e 50 morreram, segundo o último boletim epidemiológico do município.

A pandemia de Covid-19 provocou, pelo menos, 2.031.048 mortos resultantes de mais de 94,9 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 8.861 pessoas dos 549.801 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+