Tempo
|

Covid-19 em Portugal

Dois hospitais da região Norte com ocupação máxima em UCI e outros três acima dos 90%

18 jan, 2021 - 17:30 • Joana Gonçalves

A Administração Regional de Saúde do Norte adianta que as camas complementares que resultam dos acordos e convenções com os setores privado, social e militar estão com "taxas de ocupação próximas dos 100%". ARS do Algarve fala numa "situação preocupante", perante o aumento de internados.

A+ / A-

Veja também:


Com o número de internamentos por Covid-19 acima dos cinco mil, Portugal enfrenta um período crítico no combate à pandemia. A taxa de ocupação de camas afetas a doentes com o novo coronavírus ultrapassa os 90% em todo o país e há já hospitais no limite da capacidade de resposta.

Na região Norte, há dois hospitais com taxa de ocupação de 100%, em unidades de cuidados intensivos (UCI). O Centro Hospitalar de Entre Douro e Vouga e o Centro Hospitalar De Trás-Os-Montes E Alto Douro têm todas as camas ocupadas em UCI.

De acordo com a última atualização da Administração Regional de Saúde (ARS) do Norte, enviada à Renascença esta segunda-feira à tarde, há ainda outras três unidades hospitalares com taxas de ocupação superiores a 90%. São elas o Hospital de Braga, o Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa e o Centro Hospitalar Universitário de São João.

Fonte da ARS do Norte adianta, ainda, que as camas complementares que resultam dos acordos e convenções com os setores privado, social e militar estão com "taxas de ocupação próximas dos 100%".

Também na região Centro a capacidade de resposta para doentes com Covid-19 se aproxima do limite, com uma taxa de ocupação de 93% em enfermaria e 89% em UCI.

Há, neste momento, apenas 14 camas disponíveis em cuidados intensivos para doentes Covid-19 e 15 para doentes não Covid-19.

Já no Centro Hospitalar Universitário do Algarve a taxa de ocupação das unidades de internamento Covid-19 atingiu os 80%, quer em enfermaria quer em cuidados intensivos.

Fonte da ARS do Algarve adianta, em resposta à Renascença, que “será vital ver o impacto que as novas medidas de prevenção tomadas a nível nacional terão sobre esta tendência, uma vez que, caso esta tendência de aumento da necessidade de internamento se mantenha nos próximos dias e semanas, isso será uma situação preocupante”.

No âmbito da ativação da Fase 4 do Plano de Contingência do Centro Hospitalar Universitário do Algarve, foi aberta no dia 10 de janeiro, no Pavilhão Arena, em Portimão, uma enfermaria Covid-19 com capacidade até 100 camas, que vai funcionar como serviço de retaguarda, mantendo a capacidade de resposta aos doentes que procuram as estruturas hospitalares públicas.

Ao dia de hoje estão internados nos hospitais da ARS de Lisboa e Vale do Tejo 2.174 doentes com Covid-19, sendo que 1.918 estão em enfermaria e 253 utentes em UCI. Há ainda registo de três doentes em "hospitalização domiciliária", de acordo com o comunicado enviado à Renascença.

A Renascença pediu uma atualização das taxas de ocupação em enfermaria e UCI a todas as ARS e está, ainda, a aguardar uma reposta da ARS do Alentejo.

Portugal registou esta segunda-feira um novo máximo diário de 167 mortes por Covid-19 e há registo de 6.702 novas infeções, indica o boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS).

Desde o início do ano, ou seja, em 18 dias, já morreram mais de duas mil pessoas com a doença em Portugal.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+