Tempo
|
A+ / A-

Coronavírus

​Biden quer mais seringas e recorrer a médicos reformados para acelerar vacinação Covid-19

15 jan, 2021 - 23:16 • Redação com Reuters

A doença já mantou mais de 389 mil pessoas nos Estados Unidos, um número que pode chegar, em fevereiro, ao meio milhão de pessoas, segundo especialistas adiantaram à equipa do novo Presidente.

A+ / A-

Veja também:


O Presidente eleitos dos Estados Unidos apresentou esta sexta-feira o plano para acelerar a vacinação contra a Covid-19.

Joe Biden prevê aumentar a produção de seringas e outros consumíveis necessários à administração das vacinas, bem como recorrer a médicos reformados para criar novos pontos de vacinação onde serão inoculados professores, funcionários de lojas de venda de bens alimentares, pessoas acima dos 65 anos e outros grupos que atualmente não estão previstos ser vacinados.

Os planos constam de um documento que foi tornado público pela sua equipa de transição para a Casa Branca, citado pela agência Reuters.

Neste documento, Biden prevê recorrer a uma legislação que permite requisitar meios para aumentar a produção de bens necessários à vacinação, bem como requisitar empresas que tenham condições de assegurar a refrigeração e armazenamento das vacinas.

A Covid-19 já mantou mais de 389 mil pessoas nos Estados Unidos, um número que pode chegar, em fevereiro, ao meio milhão de pessoas, segundo especialistas adiantaram à equipa do novo Presidente.

Em declarações aos jornalistas, poucos dias antes da tomada de posse, Biden prometeu fazer melhor que o seu antecessor Donald Trump na luta contra o vírus e prometeu garantir 100 milhões de vacinas nos primeiros 100 dias do seu mandato.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+