Tempo
|
A+ / A-

Entrevista

Von der Leyen diz que caso do procurador europeu "é matéria para o Conselho"

14 jan, 2021 - 17:32 • Vasco Gandra, correspondente em Bruxelas

Em vésperas de visitar Portugal, a presidente da Comissão Europeia concedeu uma entrevista por videoconferência aos correspondentes portugueses em Bruxelas, em que fala também dos desafios da presidência portuguesa da UE e da pandemia de Covid-19. Até ao final do mês, poderá ser aprovada uma terceira vacina.

A+ / A-
Pico de infeções na Europa potencia novas variantes do vírus. "E isto é sério", diz Ursula von der Leyen
Pico de infeções na Europa potencia novas variantes do vírus. "E isto é sério", diz Ursula von der Leyen

A presidente da Comissão Europeia remete a polémica sobre o procurador europeu nacional para o Conselho da União Europeia. A intervenção de Ursula von der Leyen tinha sido pedida pelo Partido Popular Europeu (PPE), grupo político onde se integram os eurodeputados do PSD.

A presidente da Comissão Europeia e mais oito membros do Colégio deslocam-se esta sexta feira a Lisboa para uma ronda de contactos com a presidência portuguesa do Conselho da UE.

Em vésperas da visita, Ursula von der Leyen concedeu uma entrevista por videoconferência aos correspondentes portugueses em Bruxelas. Questionada sobre o caso do magistrado português para a Procuradoria Europeia, Von der Leyen diz que "é matéria para ser decidida pelo Conselho" da União Europeia, não pela Comissão.

A líder do executivo comunitário garante que as duas vacinas já autorizadas na UE - a da BioNTech e da Moderna - vão permitir ter "doses suficientes para vacinar 80% da população europeia".

"E, outra boa notícia, ontem [quarta-feira] a AstraZeneca - a terceira companhia - solicitou uma autorização condicional de mercado e esperamos que isso aconteça no final do mês".

Ursula von der Leyen considera igualmente "bem-vinda" a proposta do primeiro-ministro grego de criar um certificado de vacinação reconhecido mutuamente pelos 27 para facilitar as deslocações na UE.

A atual situação sanitária na Europa "é séria", afirma. "O que vemos neste momento é um pico de infeções no seguimento dos feriados de Natal e o possível impacto de novas variantes. E isto é sério. Temos que estar vigilantes e fazer um bom seguimento, temos que ser muito disciplinados. Sei que o governo português está a monitorizar muito de perto a situação, admitindo mais ações para reduzir o impacto do vírus".

Ursula von der Leyen diz que a presidência portuguesa da UE oferece "expectativas muito positivas".

"Primeiro, claro, temos que trabalhar no duro para superar esta pandemia. Temos trabalho duro pela frente. Juntos, temos que apresentar o grande pacote do Next Generation UE, o nosso pacote de recuperação de 750 mil milhões de euros, e garantir que apoia não só a recuperação da economia europeia mas também a sua modernização, através do Pacto Ecológico Europeu, da digitalização e do reforço da resiliência", diz a líder do executivo comunitário, sublinhando igualmente o ênfase da presidência portuguesa no social com a cimeira que vai realizar em maio, no Porto.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.