Tempo
|
A+ / A-

Covid-19

Sónia Carneiro saúda Governo. "Seria absolutamente catastrófico se o futebol parasse"

14 jan, 2021 - 13:18 • Carlos Dias

Diretora-executiva da Liga de Clubes fala num "voto de confiança do Governo" e explica que futebol vai manter medidas apertadas para evitar contágios e detetar casos.

A+ / A-

Sónia Carneiro, diretora-executiva da Liga de Clubes, saúda a decisão do governo em manter os campeonatos profissionais a decorrer apesar do confinamento de um mês que o país se prepara para atravessar.

Em declarações a Bola Branca, a dirigente explica que seria "catastrófico" se o futebol voltasse a parar, como aconteceu no primeiro confinamento geral, sendo que a II Liga não foi sequer retomada.

"Temos noção que o número de casos estão a aumentar, mas o comportamento tido pelos SAD nestes últimos meses permitiu este voto de confiança, que honraremos. Seria absolutamente catastrófico se o futebol parasse em todos os aspetos", explica.

Sónia Carneiro explica que o futebol poderá ser "algum entretenimento para as pessoas em casa". "Ao abdicar do público, o futebol transformou-se num espetáculo televisivo, que não é ideal, mas é um cenário menos mau dentro da pandemia", explica.

O futebol continuar a disputar-se é um voto de confiança e implica ainda maior responsabilidade nos clubes: "Aumentou a responsabilidade, mas vamos manter o tratamento que é testar semanalmente. Todas as equipas testam antes de cada jornada. Faremos por honrar o voto de confiança e vamos levar as competições até ao fim, lutando pelo objetivo comum para ajudar a sensibilizar a população para a necessidade de todos nos protegermos ao máximo".

Após o anúncio da decisão, o presidente da Liga, Pedro Proença, congratulou a decisão governamental, intitulando-a de "a mais sensata".

"Acaba por ser a decisão mais sensata e legítima. Premeia toda uma atitude responsável, rigorosa e previdente adotada pela Liga Portugal e pelos seus clubes e profissionais. Foi este, de resto, e em diálogo permanente com as autoridades sanitárias e governamentais, o desígnio assumido transversalmente desde o início pelo Futebol Profissional: testar, prevenir, proteger. Tendo mantido ao longo de todo o processo um comportamento absolutamente exemplar e adotado todas as medidas para manter em segurança todos os envolvidos, faz todo o cabimento que as três competições profissionais [I e II Ligas e Taça da Liga] sejam autorizadas a prosseguir a sua atividade", escreveu.

Médicos voltam a reunir

Sónia Carneiro revela que há um "alinhamento grande" entre todas as entidades e revela que os médicos dos clubes voltam a reunir-se para discutir a evolução da pandemia dentro do futebol profissional.

"Não podemos parar a competição. Há uma consciencialização grande de todas as equipas e um alinhamento entre as entidades e os médicos dos clubes. No próximo dia 22 faremos novo 'webinar' para juntar os médicos: vamos acompanhar o que está feito e corrigir o que é necessário. A única solução é continuar a jogar, independentemente dos casos", termina.

O primeiro-ministro anunciou na última quarta-feira à noite que as primeiras divisões de futebol e futsal não vão parar com o novo confinamento: "A liga profissional e as ligas equiparadas às profissionais são mantidas em atividade, obviamente sem público", comunicou António Costa, na conferência de imprensa de divulgação das novas medidas restritivas de combate à pandemia do novo coronavírus.

Além das I e II Ligas de futebol masculino, continuam a decorrer Campeonato de Portugal (masculino) e a I Liga feminina, assim como as primeiras divisões masculina e feminina de futsal.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.