Tempo
|
A+ / A-

Destituição de Trump

Guarda Nacional dos EUA autorizada a usar armas para defender Capitólio

13 jan, 2021 - 16:07 • Lusa

Câmara dos Representantes vota esta quarta-feira segunda destituição de Donald Trump, a sete dias de Joe Biden tomar posse como Presidente dos EUA.

A+ / A-

A Guarda Nacional dos EUA anunciou esta quarta-feira que foi autorizada a usar armas para garantir a segurança do Capitólio, no dia em que a Câmara de Representantes dos EUA discute um novo processo de destituição do Presidente Donald Trump.

A Guarda disse, em comunicado, que a autorização foi solicitada pelas autoridades federais e aprovada pelo secretário do Exército, Ryan McCarthy, e vai permitir que cerca de 15.000 militares estejam de alerta em Washington até à tomada de posse do Presidente eleito, Joe Biden.

A Câmara de Representantes dos EUA iniciou hoje a discussão e vai votar de seguida a instauração de um processo de destituição ao Presidente Donald Trump, acusado de ter incitado um ataque ao Capitólio na passada quarta-feira.

Este procedimento segue-se a um pedido formal, discutido na terça-feira à noite, para que o vice-Presidente invocasse a 25.ª emenda da Constituição para retirar poderes a Trump, invocando os riscos da sua manutenção no cargo para a segurança do país, que Mike Pence recusou, alegando que não serve os interesses do país.

O artigo para o novo processo de ‘impeachment’ de Donald Trump – que, se vier a ser aprovado, como tudo indica, será o único Presidente a ser alvo de dois processos de destituição durante o mandato — foi apresentado na Câmara de Representantes, na segunda-feira, acusando o líder republicano de “incitação a insurreição” por ter induzido os seus apoiantes a assaltar o Capitólio, na passada quarta-feira.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Ivo Pestana
    13 jan, 2021 Madeira 17:19
    Bravo. A democracia merece e deve ser bem defendida.