Tempo
|
A+ / A-

Vaga polar

16 graus negativos. Espanha atinge temperaturas mínimas extremas

12 jan, 2021 - 09:39 • Lusa

As comunidades de Madrid, Aragão, Castela-Mancha e Castela e Leão estão sob alerta vermelho. Autoridades pedem à população que fique em casa e evite deslocações de carro.

A+ / A-

A maior parte do território espanhol encontra-se nesta terça-feira debaixo da maior onda de frio das últimas duas décadas, com 12 das suas 17 comunidades autónomas em alerta para temperaturas mínimas extremas de até 16 graus abaixo de zero.

Segundo a agência de meteorologia espanhola (Aemet), quatro dessas regiões estão mesmo em alerta vermelho, Madrid, Aragão, Castela-Mancha e Castela e Leão, sendo esta última a maior das comunidades – da mesma dimensão de Portugal, com quem faz fronteira.

As temperaturas gélidas não ajudam ao regresso à normalidade, depois da passagem da tempestade de neve Filomena, que paralisou uma parte do país, nomeadamente a capital, Madrid, que durante o fim de semana mais parecia uma estação de inverno.

As autoridades pedem à população para ficar em casa e, principalmente, evitar deslocações nas estradas.

Na região de Madrid, todas as instituições de ensino estão encerradas até à próxima segunda-feira, assim como diversos serviços públicos.

O tráfego ferroviário, aéreo e rodoviário está gradualmente a recuperar do impacto da tempestade Filomena, que afetou particularmente a Espanha central, mas as autoridades avisam que o regresso à normalidade está a ser atrasado pelas temperaturas baixas.

Nesta terça-feira, às 9h00 (8h00 em Lisboa), a temperatura mais baixa foi registada em Molina de Aragón (Guadalajara, Castela-Mancha, a 50 km a leste de Madrid), com -25,2 ºC, seguida de Calamocha (Teruel, Aragão, a leste do país), com -21,3 graus.

Madrid cobriu-se de branco com passagem da depressão Filomena
Madrid cobriu-se de branco com passagem da depressão Filomena
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+