Tempo
|
A+ / A-

“Aqui não furam. Minas aqui nunca mais!”. Serra D’Arga endurece a luta contra o lítio

11 jan, 2021 - 15:03 • Olímpia Mairos

Movimento cívico promete “empregar todos os esforços e recorrer a todos os meios ao seu dispor” para proteger o território.

A+ / A-

O movimento cívico SOS Serra D’Arga exige ao Governo a imediata exclusão daquele território do plano nacional do lítio e a não atribuição de quaisquer direitos de exploração de depósitos minerais a empresas privadas.

“Acabou-se o tempo de pedir transparência e soberania local. Já de nada serve pedir que se ouça a vontade da população. Chegou a hora de exigir”, pode ler-se no comunicado enviado à Renascença.

A resolução foi aprovada numa reunião realizada em Dem, no concelho de Caminha, em que participaram conselhos diretivos de baldios, juntas de freguesia e o movimento SOS Serra d’Arga e será enviada ao Governo, ao ministro do Ambiente e Ação Climática e ao secretário de Estado Adjunto e da Energia.

No documento é exigido “de uma vez por todas que o Governo retire a Serra d’Arga desse programa mineiro altamente destrutivo. Exigimos a todas as empresas mineiras que retirem os seus pedidos de prospeção e exploração”.

O movimento promete empregar “todos os esforços e recorrer a todos os meios ao seu dispor no sentido de impedir a destruição de todo o trabalho desenvolvido, nas últimas duas décadas, quer pelas autarquias e agentes sociais locais, quer pelas comunidades em prol do desenvolvimento sustentado e sustentável nestes territórios”.

“A nossa posição é final e não vamos ceder nem um milímetro: aqui não entram. Aqui não furam. Minas aqui nunca mais!”, escrevem os signatários.

O movimento SOS Serra d’Arga, indica que há atualmente três pedidos de exploração, denominados Ledo, Aldeia e Vilarinho e avisa que “não aceita ver o seu património destruído”.

A Serra d’Arga abrange uma área de 10 mil hectares nos concelhos de Caminha, Vila Nova de Cerveira, Viana do Castelo e Ponte de Lima e está em fase de classificação como Área de Paisagem Protegida de Interesse Regional, numa iniciativa conjunta dos quatro municípios.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+