Tempo
|
A+ / A-

Presidenciais

Campanha de Ventura arranca debaixo de protestos e insultos em Serpa

10 jan, 2021 - 16:59 • Lusa

Ação do primeiro dia oficial de campanha presidencial do líder do Chega foi marcada por insultos ao candidato e protestos veementes por parte de populares, a maioria de etnia cigana.

A+ / A-

A única ação do primeiro dia oficial de campanha presidencial do líder do Chega, um comício em Serpa, está a ser este domingo marcada por insultos ao candidato e protestos veementes por parte de populares, a maioria de etnia cigana.

O deputado único do recém-formado partido da extrema-direita parlamentar tem visado esta comunidade étnica várias vezes, chegando mesmo a sugerir um confinamento específico destes cidadãos portugueses durante a pandemia de covid-19.

À porta do cineteatro de Serpa, cerca de 50 pessoas empunharam cartazes, gritaram palavras de ordem e recorreram a buzinas para expressar o seu desacordo com as ideias defendidas por Ventura.


“Alentejo, terra da Liberdade”, “Não queremos RSI (Rendimento Social de Inserção), mas trabalho”, “Facho!” ou “Zeca, obrigaram-me a vir para a rua” foram algumas das inscrições nas tarjas e cartazes improvisados.

A guardar a distância de segurança, antes da chegada do dirigente nacional-populista, estão cerca de dezena e meia de agentes da Guarda Nacional Republicana.

Segundo a mandatária regional da candidatura de Ventura, houve ameaças através de redes sociais na véspera, além de a autarquia, dirigida pela CDU (PCP e “Os Verdes”), ter autorizado a pequena manifestação, que contava com uma aparelhagem sonora a transmitir canções de intervenção.

“Ele é muito racista e anda fazendo racismo contra os ciganos. Os ciganos não gostam disso. Os meus pais não o suportam, falam muito mal dele, é um Hitler!”, disse à agência Lusa o pequeno Nicodemos, 12 anos, ladeado pelo irmão Netaniel, de 11, ambos do outro lado da rua, em frente ao cineteatro.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Anti-esquerdalha
    16 jan, 2021 Portugal com Orgulho 20:49
    Os berros da esquerdalha subsidio-dependente, são a melhor certeza que o André, e o Chega! estão no bom caminho. Continue, André! Aqueles que estão fartos de descontar para verem alguns a viver à conta disso, estão consigo
  • Anónimo
    11 jan, 2021 Lisboa 19:34
    A escumalha fascista tem que ser combatida de todas as maneiras. Não passarão.
  • poiares
    10 jan, 2021 viseu 23:45
    São os ossos do botas que vieram de Santa Comba aplaudir o afilhado!
  • tito
    10 jan, 2021 Santarém 23:31
    O Ventura, que nunca trabalhou na vida, a mandar bocas ao pessoal?
  • Luis
    10 jan, 2021 Alvito 21:47
    Votar no Ventura é pedir que aconteça em Lisboa o que se passou esta semana em Washington. Dispenso.
  • Ivo Pestana
    10 jan, 2021 Madeira 18:10
    Mas a liberdade é respeitar as candidaturas e usar o voto.
  • patricia saavedra
    10 jan, 2021 beja 17:48
    Vai trabalhar Ventura!
  • Nikita Ambriz
    10 jan, 2021 Vila Real 17:33
    Acho muito bem o povo de etnia cigana revoltarem-se contra este sujeito que não te outro nome, que ameaça a constituição e o pleno estado de direito.Portugal é feito de todas as raças e etnias não deve haver portugueses de primeira nem de segunda no seu próprio país. O que seria os portugueses pelo mundo se tivessem este tipo de ideologia no país de acolhimento,haveria íntegracao e sucesso em várias áreas. Não pois não, temos que acabar com esse partido que não é nada nem se pode chamar de fascista porque nem isso espelha.

Destaques V+