Tempo
|
A+ / A-

Rainha de Inglaterra premeia portuguesa que dirigiu a Biblioteca Nacional

08 jan, 2021 - 14:14 • Maria João Costa

Leonor Machado de Sousa foi distinguida esta semana, com a Ordem do Império Britânico, por Isabel II de Inglaterra. O ministério da cultura congratula-se com a distinção e destaca trabalho pioneiro no estudo das relações entre Portugal e o Reino Unido.

A+ / A-

A Ministra da Cultura congratulou-se esta sexta-feira com o prémio atribuído pela Rainha de Inglaterra à portuguesa Leonor Machado de Sousa. A académica, que foi a primeira mulher a dirigir a Biblioteca Nacional foi uma das 49 pessoas, de diferentes países, a receber o grau honorário de Membro da Ordem do Império Britânico.

Em comunicado Graça Fonseca, destaca a “prestigiada contribuição para as artes e ciências” que Leonor Machado de Sousa teve. “Esta distinção vem coroar um percurso académico inovador nos estudos anglo-portugueses, amplamente reconhecido pelos seus pares e pelos muitos alunos que, ao longo de décadas, com ela aprenderam e trabalharam”, aponta a governante.

Especialista em estudos anglo‐portugueses, Leonor Machado de Sousa foi a primeira mulher a exercer uma cátedra de estudos ingleses em Portugal, bem como a primeira mulher a exercer o cargo de diretora da Biblioteca Nacional de Portugal.

Membro da Academia Portuguesa da História, a professora catedrática jubilada da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, contribuiu, nas palavras da ministra da cultura, “de forma significativa para o prestígio” da Academia de História “com o seu trabalho pioneiro no estudo das relações entre Portugal e o Reino Unido”.

Licenciada em Filologia Germânica pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa em 1954, Maria Leonor Machado de Sousa esteve na origem dos primeiros cursos de Estudos Ingleses iniciados no final dos anos 1970, na Universidade NOVA de Lisboa.

O comunicado do ministério da cultura sublinha “o seu percurso profissional e o seu contributo para a história e cultura portuguesas” como “significativos, não só pelo rigor e pela excelência das suas investigações académicas, mas também pela forma como abriu horizontes e novos caminhos para as mulheres portuguesas”.

Leonor Machado de Sousa foi ainda uma das promotoras da Revista de Estudos Anglo‐Portugueses e é autora de várias obras de referência. Entre elas estão estudos sobre Inês de Castro, um sobre a presença de Charles Dickens em Portugal e outro sobre as Guerras Peninsulares.

No currículo de Leonor Machado de Sousa pode ler-se também que foi vice-presidente da assembleia geral da Fundação Inês de Castro desde a sua criação e que desde a década de 1980 que tem trabalhado no estudo das figuras de Pedro e Inês, tendo organizado já várias exposições e feito várias conferências, bem como publicado vários livros e artigos sobre a temática.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.