Tempo
|
A+ / A-

Paulo Pereira

Decisão de adiar o Nacional-Sporting foi "sensata e correta"

07 jan, 2021 - 21:40 • Pedro Azevedo

Especialista em arbitragem Paulo Pereira elogia procedimento levado a cabo por Manuel Mota, árbitro da partida. Encontro da 13.ª jornada da I Liga realiza-se na sexta-feira, às 18h00.

A+ / A-

A decisão de adiar o jogo entre Nacional e Sporting, a contar para a 13.ª jornada do campeonato, "foi sensata e correta", de acordo com o especialista em arbitragem Paulo Pereira.

O mau tempo provocado pela passagem da depressão Filomena pela Madeira, com chuva e vento fortes, obrigou Manuel Mota, árbitro principal, a adiar a partida, ao fim de meia hora de espera. Em declarações a Bola Branca, Paulo Pereira apoia a decisão, pois "como se constatou nas imagens televisivas, sempre que a bola era colocada no relvado começava a rolar por força do vento".

"Se Manuel Mota tivesse optado por dar início ao jogo, em todos os recomeços como livres, pontapés de baliza ou cantos, os jogadores iriam ter muita dificuldade para a bola ficar imóvel e antevia que o árbitro iria ter de interromper o jogo. Concordo com a sua decisão e achei importante que 30 minutos depois, como está regulamentado, Manuel Mota ter regressado ao relvado para verificar se as condições meteorológicas se mantinham. E como estavam mais graves, Manuel Mota tomou a decisão definitiva de não iniciar o jogo", afirma.

O jogo foi adiado para sexta-feira, às 18h00, dentro do período de 30 horas que o regulamento permite. Paulo Pereira espera que as condições climatéricas melhorem "e que o jogo se realize".

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+