Tempo
|
A+ / A-

CDS critica "espetáculo mediático" em torno da vacinação contra a Covid-19

27 dez, 2020 - 19:30 • Lusa

Francisco Rodrigues dos Santos reconhece que início da vacinação "é um marco de felicidade e de esperança", embora não sendo "o fim do vírus".

A+ / A-

Veja também:


O presidente do CDS-PP condenou este domingo aquilo que considerou o "espetáculo mediático" do começo do plano de vacinação contra a Covid-19, nomeadamente pela ministra da Saúde, além da SMS da Proteção Civil aos portugueses.

"O espetáculo mediático da ministra [Marta Temido] com a chegada da vacina, a juntar ao envio do aviso por telemóvel a todos os portugueses, quando a maioria da população será vacinada apenas daqui a meses e quando ainda há tanto a fazer e que já devia ter sido feito, é irresponsável e induz uma sensação triunfal que é falsa", afirmou o presidente do CDS-PP, Francisco Rodrigues dos Santos, numa nota enviada à comunicação social.

Contudo, o líder dos democratas-cristãos reconheceu que "é um marco de felicidade e de esperança", embora não sendo "o fim do vírus" que tem provocado a pandemia de covid-19.

"Nem sequer é o princípio do fim. É, talvez, o fim do princípio que nos levará à vitória final. Até lá, separam-nos longos meses de resistência, em que se espera que a nossa administração pública esteja à altura da execução da complexa e gigante operação de vacinação", concluiu.


O plano nacional de vacinação contra a covid-19 arrancou hoje no Hospital de São João, no Porto, com o médico infecciologista António Sarmento a receber pelas mãos da enfermeira Isabel Ribeiro a primeira dose.

Sábado chegou a Portugal um primeiro lote com 9.750 vacinas, desenvolvidas pela Pfizer-BioNTech, destinado aos profissionais de saúde dos centros hospitalares universitários do Porto, São João, Coimbra, Lisboa Norte e Lisboa Central.

O primeiro lote de vacinas será reforçado com a antecipação da entrega de mais 70.200 doses, que têm chegada prevista para segunda-feira, elevando o total disponível para administração até ao final do ano para 79.950 vacinas, segundo o Ministério da Saúde.

Em Portugal, morreram 6.556 pessoas dos 392.996 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

Vacinação arranca em Portugal. "Deixar-se vacinar tranquilamente é uma ajuda enorme à comunidade e à humanidade"
Vacinação arranca em Portugal. "Deixar-se vacinar tranquilamente é uma ajuda enorme à comunidade e à humanidade"
Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • José J C Cruz Pinto
    28 dez, 2020 ILHAVO 05:35
    Alguém consegue imaginar este garoto sem rabujar com alguma coisa?

Destaques V+