Tempo
|
A+ / A-

Pandemia

Passo final. Comissão Europeia dá "luz verde" à vacina da Pfizer contra a Covid-19

21 dez, 2020 - 17:50 • Redação

É o passo final para países da UE começarem a vacinar populações. Portugal, Alemanha, Itália e outros começam a vacinar profissionais de saúde já este domingo, logo a seguir ao Natal.

A+ / A-

Veja também:


A Comissão Europeia aprovou esta segunda-feira a distribuição da vacina contra a Covid-19 desenvolvida pela norte-americana Pfizer e a parceira alemã BioNTech, o passo final que permite aos Estados-membros da UE dar início às campanhas de inoculação dos cidadãos.

A "luz verde" do executivo comunitário surge horas depois de a Agência Europeia do Medicamento ter autorizado a vacina da Pfizer para uso no território europeu.

Vários dos 27 Estados-membros, incluindo Portugal, a Alemanha, Itália e Áustria, planeiam arrancar com a primeira fase de vacinação já no domingo, 27 de dezembro, logo a seguir ao Natal.

"A vacina não será uma solução milagrosa", mas é "um enorme passo na direção certa"
"A vacina não será uma solução milagrosa", mas é "um enorme passo na direção certa"

"Tal como tínhamos prometido, esta vacina vai ser igual para todos e começa a ser administrada, ao mesmo tempo, em todos os estados-membros entre os dias 27 e 29 deste mês", garantiu esta segunda-feira a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen.

Os Estados Unidos da América e o Reino Unido começaram a vacinar profissionais de saúde e grupos de risco há uma semana.

Em Portugal, entre janeiro e fevereiro as doses de vacinas disponíveis só chegarão para inocular os profissionais de saúde e idosos e funcionários de lares. Só para fevereiro é que está prevista a vacinação em centros de saúde.

Como funcionam as vacinas e como nos protegem do novo coronavírus?
Como funcionam as vacinas e como nos protegem do novo coronavírus?
Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+