Tempo
|
A+ / A-

Alfa Romeo Stelvio Quadrifoglio – 510 cavalos de puro prazer

21 dez, 2020 - 23:12 • José Carlos Silva

Colocar um motor 2.9 bi-turbo a gasolina num SUV pode deixar reservas a muito boa gente. Mas, a Alfa Romeo soube o que fez.

A+ / A-

Imagine que alguém pegou num bloco de motor Ferrari e o colocou num SUV. Acrescentou-lhe o barulho de um escape que ruge. E deu-lhe a oportunidade de o conhecer melhor. Sim, tivemos essa oportunidade.

Exterior

O capot, com duas entradas de ar, faz prever o melhor: O motor que está lá por baixo e que esconde 510 cavalos de potência “arejados” por um bi-turbo que o pode levar aos 283 quilómetros por hora.

A grelha imponente em forma de pirâmide invertida, com um pequeno símbolo da Alfa lá em cima, os faróis esguios, linhas compactas - sobre jantes de 20” - onde se vislumbram as maxilas assinadas pela Alfa Romeo. Nas embaladeiras, em verde sobre fundo branco está o trevo de quatro folhas. Acrescente-se uma generosa altura ao solo, e aqui está o Alfa Romeo Stelvio Quadrifoglio.

Interior

Respira-se qualidade. Qualidade dos materiais utilizados, e ainda bem que assim é, porque afinal de contas, este Alfa Romeo não é para todas as bolsas. Ao preço base de 81.317 euros, coloque mais 51 mil euros para taxas e taxinhas, e obtém a resposta: São 132.500 euros de automóvel, sem os vários opcionais deste que está em teste.

Já lá vamos. Para aceder ao interior, e se for de baixa ou mediana estatura, prepare-se para subir. E depois de encontrar a posição de condução ideal, olhe para o volante que integra, por exemplo, o botão de arranque, em vermelho, bem desportivo. O volante é em Alcantara com inserções em fibra de carbono, que vai encontrar em vários locais do habitáculo.

Os bancos acolhem bem, são em pele e alcântara. Os bancos traseiros, nesta versão em teste, são aquecidos. Leva 5 pessoas a bordo com conforto e num ambiente de qualidade.

Motor

Não será preciso imaginar em demasia. Lembre-se: Um motor 2.9 litros bi-turbo a gasolina. Com 510 cavalos. Vai do zero aos cem em 3,8 segundos. E tem uma velocidade máxima de 283 quilómetros por hora.

Agora imagine que carrega a fundo no acelerador. E esqueça os consumos, que se é para andar depressa, o mais certo é fazer uma média de 20 litros. Ou 11,5 se for muito comedido, e quiser cumprir a média apontada pela marca. Mas estará assim tão preocupado em poupar no combustível quando têm uma “máquina” destas sob o seu comando? Logo vi que não.

Isso, esmague o acelerador. E sinta as costas colarem-se ao banco, e a caixa automática de 8 velocidades subir depressa, com o escape a emitir pequenas explosões que não deixam ninguém indiferente.

Esta é a sensação.

Some, a isto uma tracção com propulsão traseira e dianteira Q4, a suspensão Alfa Link, e tem uma ideia. Apesar de tudo, é possível fazer soltar a traseira em aceleração mais bruta, e sentir a adrenalina daquele pequeno instante em que parece que perdemos o controlo.

A Alfa Romeo com o Stelvio Quadifloglio continua a saber fazer automóveis. Este que testámos custa… 145.918 euros.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • ANTÓNIO
    27 dez, 2020 QUEIJAS 18:06
    Saem 2 para a mesa do canto

Destaques V+