Tempo
|
A+ / A-

Pandemia

Covid-19. Guterres apela a países ricos para apoiarem os pobres com vacinas

18 dez, 2020 - 01:17 • Lusa

Programa Covax, criado para garantir a todos os países o acesso às vacinas para a Covid-19, necessita de, pelo menos, 20.000 milhões de dólares (16.430 milhões de euros), lembra o secretário-geral da ONU.

A+ / A-

Veja também:


O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, apela aos países ricos para apoiarem os mais pobres na compra de vacinas para combater a pandemia da Covid-19.

Citado pela agência Associated Press (AP), Guterres indicou que o programa Covax, apoiado pela ONU, necessita de 5.000 milhões de dólares (cerca de 4.100 milhões de euros) até ao final de janeiro de 2021.

O programa, criado para garantir a todos os países o acesso às vacinas para a Covid-19, necessita de pelo menos de 20.000 milhões de dólares (16.430 milhões de euros), lembrou o secretário-geral da ONU.

“Ao mesmo tempo, vejo países que compraram vacinas num volume várias vezes superior às respetivas populações, ou pelo menos fizeram ofertas nesse sentido”, frisou Guterres, apelando aos governos para que possam doar as doses em excesso à Covax.

O antigo primeiro-ministro português observou ser “do melhor interesse do mundo” garantir uma “ampla imunização”.

“Se não erradicarmos a doença, o vírus pode sofrer uma mutação. As vacinas, que num determinado momento são eficazes, podem deixar de o ser se as coisas mudarem”, sublinhou o secretário-geral das Nações Unidas.

O programa mundial de vacinação, batizado como Covax e coliderado pela Gavi (Aliança de Vacinação), é uma iniciativa global de distribuição justa de futuras vacinas contra a Covid-19 lançada pela Organização Mundial de saúde (OMS), mas enfrenta um elevado risco de fracasso, podendo potencialmente deixar os países mais pobres e milhões de pessoas sem acesso às vacinas até 2024.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+