Tempo
|
A+ / A-

Seat Leon Sportstourer 1.5 eTSI DSG FR - Combinação de espaço e motor

08 dez, 2020 - 19:47 • José Carlos Silva

No mercado, são cada vez menos apetecíveis as carrinhas e cada vez mais os SUV. Mas a insígnia de Martorell aplicou-se a sério num produto de qualidade e muito competente.

A+ / A-

Diz o ditado que “De Espanha nem bom vento nem bom casamento”. Com a Seat Leon Sportstourer, esperam-se ventos de feição, e pode até não atrair parceira para casar mas tem espaço para uma futura família.

Exterior

Está longe de ser feia. Antes pelo contrário. E pela feição, o rosto é agressivo, como se gosta, nos carros, entenda-se. Com proporções correctas, tem muito espaço interior, sem que as dimensões exteriores sejam exageradas.

A assinatura luminosa que atravessa o portão traseiro, que de resto já equipa o Leon “carro”, dá-lhe graça, e sobretudo confere segurança adicional sobretudo quando se circula de noite.

Interior

Surpreende pelo espaço, sobretudo nos bancos traseiros. Arrumados, cabem três, mas o ideal é serem dois.

Quatro pessoas a bordo, para uma viagem mais prolongada, seria o ideal. E neste capítulo não há que se preocupar com as malas. A bagageira tem 620 litros de capacidade.

Ao volante, estamos bem sentados, com uma posição de condução correcta.

Motor

Se o seu agregado familiar é de 4 pessoas, se gosta de viajar, e mais importante, se gosta de conduzir, esta pode ser uma opção certa para si.

Mais do que uma mera carrinha para utilizar no dia a dia, oferece a capacidade de transporte para viagens mais longas, e com um motor eficaz. O modelo testado tem as siglas FR 1.5 eTSI, e é um dos mais potentes, com 150 cavalos disponíveis.

Sendo equipado com um sistema mild-hybrid, desliga alguns cilindros, quando não são necessários. Mas nada se nota, nem quando se desligam, nem quando ligam.

Os consumos verificados foram na casa dos 6,2 litros aos 100, o que não é nada mau quando sabemos que a condução foi sobretudo dinâmica e despachada, e onde foi possível cumprir de zero a 100 em 8,7 segundos para uma velocidade máxima de 221 km/h.

O sistema de controlo de faixas pode ser intrusivo numa condução mais dinâmica, mas há sempre a possibilidade de o desligar.

O preço proposto para a versão testada é de quase 40 mil euros.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.