Tempo
|
A+ / A-

D. José Ornelas: "Estimem a vida para celebrar este e os Natais que hão-de vir”

05 dez, 2020 - 18:43 • André Rodrigues , com redação

Presidente da Conferência Episcopal apela aos portugueses que protejam a vida dos familiares com quem tencionam comemorar o Natal deste ano, uma data ainda mais importante e simbólica depois de um ano de dificuldades e confinamento.

A+ / A-

Veja também:


O presidente da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP), D. José Ornelas, apela aos portugueses que vivam a quadra do Natal com precaução e “não convidem a Covid-19” para a festa, para poderem celebrar nos próximos anos.

No dia em que o Governo anunciou o abrandamento das restrições para a quadra do Natal e Ano Novo, o também bispo de Setúbal recomenda o cumprimento das medidas de segurança sanitária.

“Às famílias, que celebrem em segurança para que possam celebrar este e os Natais que hão-de vir”, afirma D. José Ornelas em declarações à Renascença.


Apela aos portugueses que protejam a vida dos familiares com quem tencionam comemorar uma data tão importante e simbólica, sobretudo depois de um ano de dificuldades e confinamento.

“Tenhamos sempre a precaução e a estima da vida e daqueles com quem vamos celebrar, sem que tenhamos de lamentar esse Natal que passámos juntos”, sublinha.

“Sejamos capazes de viver esta quadra convidando aqueles que podemos convidar, segundo as normas que estão estabelecidas, mas é absolutamente necessário não convidar o vírus para o Natal”, apela o presidente da CEP.

D. José Ornelas quer um Natal celebrado “com alegria”, mas sem riscos desnecessários face à pandemia de Covid-19.

“Assumamos os comportamentos necessários para que possamos celebrar com alegria, com aqueles que nos são caros, para que possamos ter este Natal e aqueles que hão-de vir”, afirma o bispo de Setúbal.

Covid-19 por regiões

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.