Tempo
|
A+ / A-

Covid-19: Mais 79 mortes e maior número de casos numa semana (4.935)

04 dez, 2020 - 14:01 • Redação

A maior concentração de novos casos regista-se entre os 30 e os 59 anos. A Madeira foi a única região do país sem vítimas mortais nas últimas 24 horas, indica a Direção-Geral da Saúde.

A+ / A-

Veja também:


Portugal regista mais 79 mortes e novo aumento diários de casos (4.935) de Covid-19, indica o boletim epidemiológico divulgado esta sexta-feira pela Direção-Geral da Saúde (DGS). É o maior número de infeções da última semana.

A maior concentração de novos casos regista-se entre os 30 e os 59 anos. São mais 2.305 infeções no espaço de 24 horas.

Setenta e cinco por cento das mortes (59) no último dia aconteceram na faixa etária acima dos 80 anos.

Desde o início da pandemia estão confirmados 4.803 óbitos e mais de 312 mil infeções pelo novo coronavírus.

Nos hospitais portugueses estão internados esta sexta-feira menos 35 doentes devido à Covid-19, num total de 3.295.

Em unidades de cuidados intensivos há 526 pessoas, mais uma em relação ao dia anterior.

Recuperaram da doença 5.020 pessoas nas últimas 24 horas, há agora menos 164 casos ativos, num total de 73.712, e mais de 77 mil contactos de vigilância, uma redução de 345 desde o balanço anterior.

Numa análise por regiões, o Norte regista mais 2.577 casos e 45 mortes por Covid-19, seguido de Lisboa e Vale do Tejo, com 1.508 casos e 15 óbitos.

A região Centro tem esta sexta-feira mais 626 infeções e 14 mortes, o Alentejo 111 casos e uma morte, o Algarve 73 casos e três mortes, os Açores 26 casos e um óbito e a Madeira 14 novas infeções e nenhum óbito.

De acordo com dados avançados esta sexta-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), o número de mortes nas últimas quatro semanas em Portugal foi 1,24 vezes superior aos valores dos últimos cinco anos em período homólogo, com o norte a apresentar o maior aumento deste o início da pandemia.

O plano de vacinação contra a Covid-19 foi apresentado na quinta-feira. Cerca de 950 mil portugueses começam a ser vacinados em janeiro. Idosos em lares e funcionários, pessoas com 50 ou mais anos com patologias graves e profissionais de saúde estão no primeiro grupo prioritário.

A vacinação contra a covid-19 vai ser assegurada prioritariamente por cerca de 40 mil enfermeiros do Serviço Nacional de Saúde (SNS), avançou esta sexta-feira o secretário de Estado Adjunto e da Saúde, adiantando que se for necessário serão reforçados estes recursos.

“Temos cerca de 40 mil enfermeiros no SNS e são eles que prioritariamente vão vacinar. Obviamente que se for necessário reforço serão reforçados estes meios”, afirmou António Lacerda Sales aos jornalistas, no final de duas visitas a duas unidades de saúde, em Matosinhos, no Porto.

O Presidente da República enviou, na última noite, para o parlamento o projeto de decreto que renova o estado de emergência de 9 a 23 de dezembro, mas anunciando já nova renovação até 7 de janeiro de 2021.

A renovação do estado de emergência deverá ser aprovada esta sexta-feira pelo Parlamento. No sábado, o primeiro-ministro anuncia ao país as medidas em vigor para o período do Natal e Ano Novo, estando previsto um alívio das restrições.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Americo
    04 dez, 2020 Leiria 14:19
    E o pico ?????????????!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Destaques V+