Tempo
|
A+ / A-

Catarina Martins responde a Costa: “Não aprecio insultos na política"

02 dez, 2020 - 19:15 • Lusa

Bloco diz que é tempo de Governo “deixar as recusas” e fazer acordo para salvar o Serviço Nacional de Saúde.

A+ / A-

A coordenadora do Bloco de Esquerda (BE) desafia o Governo a “deixar as recusas” e fazer um acordo essencial para salvar o Serviço Nacional de Saúde (SNS), assegurando que "fará tudo" para que este seja possível.

A líder bloquista, Catarina Martins, reuniu-se esta tarde com um grupo de profissionais de saúde sobre a criação do Estatuto do SNS, no âmbito da regulamentação da nova Lei de Bases da Saúde, tendo no final sido questionada pelos jornalistas sobre as duras críticas feitas pelo primeiro-ministro, António Costa, ao BE, que acusou de oportunismo em relação ao Orçamento do Estado para 2021 (OE2021).

“Devo dizer que não aprecio insultos na política e não os tenho usado. António Costa sabe que é primeiro-ministro porque em 2015 houve um acordo com a esquerda pelo qual o Bloco de Esquerda se bateu e de que não se arrepende”, começou por referir.

Em 2019, continuou Catarina Martins, o líder socialista foi a eleições “pedindo uma maioria absoluta, que não teve”, mas o BE propôs “um novo acordo para reforçar o trabalho e o direito do trabalho em Portugal” que “o Governo e o PS recusaram”, tal como o acordo no OE2021 para o SNS.

“Este é o tempo de deixar as recusas e de fazer os acordos que são essenciais para o país e o Bloco de Esquerda é nisso que está centrado. Todo o país consideraria uma irresponsabilidade se o Governo e o PS não quisessem fazer um acordo para o SNS e para garantir o acesso à saúde a toda a população”.

Apesar de acusar o Governo de ainda não ter dado estes passos, a coordenador bloquista acredita que “dará porque, em nome do país e da resposta aos portugueses, às portuguesas, a toda a população é fundamental um acordo para salvar o SNS”.

“Lamento que não tenha sido possível fazê-lo no Orçamento do Estado. Creio que terá de ser possível fazê-lo, que ele será feito com o Bloco de Esquerda e é para isso que trabalhamos todos os dias”, assegurou, deixando que claro que o partido que dirige "fará tudo para esse acordo porque ele é essencial para o país".

Em entrevista à rádio Observador na terça-feira, António Costa acusou hoje o BE de se ter posto “ao fresco” no voto contra o Orçamento do Estado para 2021, avisando que as pessoas não perdoam este tipo de “oportunismo”, que considera um “erro gravíssimo”.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+