Tempo
|
A+ / A-

Eduardo Lourenço. Missa de corpo presente na quarta-feira no Mosteiro dos Jerónimos

01 dez, 2020 - 18:43 • Lusa

A cerimónia decorre a partir das 12h00 de quarta-feira, no Mosteiro dos Jerónimos, sendo a missa cocelebrada pelo cardeal-patriarca de Lisboa, Manuel Clemente.

A+ / A-
Eduardo Lourenço, o maior ensaísta português do século XX
Eduardo Lourenço, o maior ensaísta português do século XX

A missa de corpo presente do ensaísta Eduardo Lourenço, que morreu hoje, aos 97 anos, vai decorrer na quarta-feira no Mosteiro dos Jerónimos, em Lisboa, informou fonte da Presidência da República.

A cerimónia decorre a partir das 12h00 de quarta-feira, no Mosteiro dos Jerónimos, sendo a missa cocelebrada pelo cardeal-patriarca de Lisboa, Manuel Clemente, e pelo cardeal e bibliotecário da Santa Sé, Tolentino Mendonça, disse fonte da Presidência da República.

De acordo com os serviços funerários, o corpo de Eduardo Lourenço estará em câmara ardente, na nave central da igreja do Mosteiro dos Jerónimos, a partir das 11:00.

Professor, filósofo, escritor, crítico literário, ensaísta, interventor cívico, várias vezes galardoado e distinguido, Eduardo Lourenço, conselheiro de Estado, foi um dos pensadores mais proeminentes da cultura portuguesa.

Eduardo Lourenço Faria nasceu em 23 de maio de 1923, em S. Pedro do Rio Seco, no concelho de Almeida, no distrito da Guarda.

Licenciado em Ciências Histórico-Filosóficas, na Universidade de Coimbra, em 1946, aí inicia o seu percurso, como assistente e como autor, com a publicação de "Heterodoxia" (1949).

Seguir-se-iam as funções de Leitor de Cultura Portuguesa, nas universidades de Hamburgo e Heidelberg, na Alemanha, em Montpellier, na França, e no Brasil, até se fixar na cidade francesa de Vence, em 1965, com atividade pedagógica nas principais universidades francesas.

Autor de mais de 40 títulos, possuiu desde sempre "um olhar inquietante sobre a realidade", como destacaram os seus pares.

"Labirinto da Saudade", "Os Militares e o Poder", "Tempoe poesia" e "Fernando, Rei da Nossa Baviera"

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.