Tempo
|
Da Capa à Contracapa
Os grandes temas da atualidade em debate à Terça-feira, depois das 23h, na Edição da Noite. Uma parceria da Renascença com a Fundação Francisco Manuel dos Santos.
A+ / A-
Arquivo
Qual será agora o papel das empresas portuguesas no comércio internacional? - Da Capa à Contracapa
Qual será agora o papel das empresas portuguesas no comércio internacional? - Da Capa à Contracapa

Da Capa à Contracapa

Qual será agora o papel das empresas portuguesas no comércio internacional?

01 dez, 2020


João Amador, economista do Departamento de Estudos Económicos do Banco de Portugal e José Pedro Teixeira Fernandes, investigador do Instituto Português de Relações Internacionais da Universidade Nova de Lisboa, conversam na Renascença sobre “As empresas portuguesas no comércio internacional”. Vai ser esta terça-feira às 23h15 na edição da noite em mais um Da Capa à Contracapa.

João Amador, economista do Departamento de Estudos Económicos do Banco de Portugal e José Pedro Teixeira Fernandes, investigador do Instituto Português de Relações Internacionais da Universidade Nova de Lisboa, conversam na Renascença sobre “As empresas portuguesas no comércio internacional”. Vai ser esta terça-feira às 23h15 na edição da noite em mais um Da Capa à Contracapa.

Tendo em conta o novo mapa geopolítico e o impacto recente da pandemia nas trocas comerciais entre países, descubra como o novo estudo da Fundação Francisco Manuel dos Santos coordenado por um dos nossos convidados, João Amador, poderá ajudar-nos a perceber melhor as forças e fraquezas das nossas empresas, que oportunidades podem agora surgir para o futuro económico do país. O da Capa à Contracapa é uma parceria da Renascença com a Fundação Francisco Manuel dos Santos.


Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.