Tempo
|
A+ / A-

Médicos com Covid têm de esperar um ano para fazer exame de especialidade

30 nov, 2020 - 09:35 • Anabela Góis

Prova decorre em pavilhões para que haja o devido distanciamento e só entra quem tem teste negativo à Covid-19.

A+ / A-

Cerca de três mil médicos recém-formados fazem, nesta segunda-feira, a prova nacional de acesso à especialidade.

De acordo com as regras definidas pela DGS, a prova decorre em pavilhões para que haja o devido distanciamento e só entra quem tem teste negativo à Covid-19.

Serafim Guimarães, presidente do Gabinete da Prova Nacional de Acesso, não sabe quantos médicos vão ficar de fora, mas espera que sejam poucos.

“Espero que sejam muito poucos. Não sei quantos são, mas espero que sejam muitíssimo poucos. É evidente que a Covid veio trazer-nos preocupações acrescidas em muitas coisas e também nesta prova. Espero que muito poucos médicos que iam fazer esta prova tenham sido atingidos”, afirma à Renascença.

Aqueles que derem resultado positivo no teste só vão poder fazer novo exame para o ano, “em princípio

“Até agora, o aviso de abertura previa só uma prova. Vamos ver o que vai acontecer, se há muita gente ou pouca. O aviso diz que é uma prova”, destaca Serafim Guimarães.

A prova nacional de acesso à especialidade tem início marcado para as 10h30. A Renascença contactou o Ministério da Saúde e aguarda ainda esclarecimentos.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+