Tempo
|
A+ / A-

Moderna quer autorização para uso de emergência. Vacinação à Covid-19 pode arrancar a 21 de dezembro

30 nov, 2020 - 12:54 • Olímpia Mairos

A farmacêutica anunciou esta segunda-feira o pedido de utilização de emergência da sua vacina para a Covid-19 aos reguladores do medicamento europeu e norte-americano. Os resultados finais dos testes clínicos da vacina apontam para uma eficácia de 94,1%.

A+ / A-

Veja também:


A farmacêutica Moderna vai pedir a aprovação urgente da sua vacina ao Food and Drug Administration (FDA), o organismo que regula o sector dos medicamentos nos EUA.

De acordo com o "New York Times", que cita o presidente-executivo da empresa Stéphane Bancel, as primeiras vacinas podem ser administradas já no dia 21 de dezembro.

O pedido da Moderna ao regulador baseia-se em dados que mostram que a sua vacina é 94,1% eficaz. A vacina é tomada em duas doses.

Dados recentes mostraram que a vacina foi 100% eficaz na prevenção de doenças graves causadas pelo novo coronavírus.

Stéphane Bancel, em declarações ao jornal, adianta que os cientistas da FDA irão “examinar o pedido e a sua aplicação passará por uma revisão final a 17 de dezembro”, esperando que “os consultores tomem uma decisão dentro de 24 a 72 horas”.

Em comunicado, a Moderna indica que vai pedir também uma autorização de introdução no mercado condicional à Agência Europeia do Medicamento.

A Farmacêutica norte-americana faz saber ainda que vai apresentar à Organização Mundial de Saúde um procedimento acelerado de registo da vacina.

A farmacêutica estima produzir 20 milhões de doses da vacina até ao final de dezembro e entre 500 milhões a um bilião em 2021.

A Moderna é o segundo fabricante de vacinas a solicitar autorização de uso de emergência. A Pfizer já apresentou o seu pedido no dia 20 de novembro indicando que está preparada para produzir até 50 milhões de doses este ano.

A pandemia de Covid-19 provocou pelo menos 1.453.074 mortos resultantes de mais de 62,5 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Portugal contabiliza pelo menos 4.427 mortos associados à Covid-19 em 294.799 casos confirmados de infeção, segundo o último boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS). O país está em estado de emergência desde 9 de novembro e até 8 de dezembro, período durante o qual há recolher obrigatório nos concelhos de risco de contágio mais elevado.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.