Tempo
|
A+ / A-

​Igreja promove Jornada Nacional do Diaconado Permanente

29 nov, 2020 - 16:05 • Henrique Cunha

Comissão Episcopal Vocações e Ministérios decidiu manter a jornada, apesar da pandemia de Covid-19, para se debater “uma realidade importante, marcante na vida da Igreja em Portugal”.

A+ / A-

A Comissão Episcopal Vocações e Ministérios (CEVM) da Conferência Episcopal Portuguesa promove, a 1 de dezembro, a Jornada Nacional do Diaconado Permanente.

Apesar da pandemia da Covid-19, a CEVM decidiu manter a jornada, para se debater “uma realidade importante, marcante na vida da Igreja em Portugal”.

D. António Augusto Azevedo, presidente da CEVM, lembra que, no ano passado, passaram 50 anos da restauração oficial do diaconado permanente pelo Concílio Vaticano II e 50 anos das primeiras ordenações de diáconos permanentes. "E também em Portugal, este ano passam 40 anos das primeiras ordenações de diáconos", assinala.

O bispo de Vila Real e presidente da CEVM diz que a jornada visa, também, dar visibilidade a uma realidade importante da Igreja.

"Serve também para nós, todos os cristãos e a sociedade, termos uma noção maior e mais real da dimensão que este ministério, nestes 40 anos, foi adquirindo na Igreja”, refere o bispo.

D. António Augusto Azevedo sublinha que, em Portugal, “são quase 400 diáconos permanentes distribuídos por todas as dioceses”. “É uma realidade importante, marcante na vida da Igreja em Portugal”, conclui.

Neste encontro online, vai ser apresentado o livro "Os diáconos da Igreja" e serão, também, apresentadas "as linhas base para um futuro documento de reflexão sobre o diaconado permanente".

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.