Tempo
|
A+ / A-

Boletim DGS

Covid-19. Cuidados intensivos com novo recorde de internamentos

29 nov, 2020 - 14:11 • Marta Grosso , Sofia Freitas Moreira

Depois de um decréscimo na ordem dos dois mil casos, o número de ativos volta a subir, mas hoje é também o dia que regista o número mais baixo de mortes desde há uma semana.

A+ / A-

Veja também:


Portugal conta, neste domingo, mais 4.093 casos de Covid-19 e 64 mortes com a doença, revela o boletim epidemiológico da Direção-Geral de Saúde (DGS).

Os dados revelam ainda um novo número recorde nos cuidados intensivos, com mais sete pessoas internadas, num total de 536. Em enfermaria, estão internadas mais 90 pessoas, num total de 3.245.

O número de pessoas dadas como recuperadas nas últimas 24 horas é de 3.259. Desde o início da pandemia, Portugal já registou 209.534 pessoas que ultrapassaram a doença (sendo que a barreira dos 200 mil foi ultrapassada no sábado).

O número de casos ativos aumentou neste domingo para 80.838 (mais 770), mas sem equiparar a diminuição registada no sábado (2.048).


Evolução dos internamentos


O Norte continua a liderar o aumento de novas infeções: mais 2.490. Na região de Lisboa e Vale do Tejo (LVT), o aumento foi de 979 casos, seguida pela região Centro, com mais 444.

A grande distância seguem-se as regiões do Alentejo (mais 84), Algarve (49), Açores (37) e Madeira (10).

Tal como no sábado, nenhuma das regiões autónomas regista qualquer óbito com Covid-19.

No que respeita a óbitos, este domingo regista o número mais baixo desde sábado, dia 21. Do total de mortes, uma ocorreu na faixa etária dos 40-49 anos; três na 50-59; cinco na faixa dos 60-69; 11 mortes entre os 70 e os 79 anos e 44 em pessoas com 80 ou mais anos.

Também aqui a região Norte foi a mais afetada, com mais 31 mortes com Covid-19. Segue-se LVT (mais 22), Centro (mais 8), Alentejo (mais 2) e Algarve (mais 1).


Número de casos por faixa etária

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.