Tempo
|
A+ / A-

​Morreu David Prowse, o Darth Vader original de “Star Wars”

29 nov, 2020 - 07:13 • Redação

Ator britânico, o homem atrás da máscara de uma das mais icónicas personagens da sétima arte, tinha 85 anos.

A+ / A-

Morreu David Prowse, o ator atrás da máscara da icónica personagem Darth Vader na trilogia original de “Star Wars – Guerra das Estrelas".

Natural de Bristol, Inglaterra, David Prowse tinha 85 anos e ajudou a moldar uma das mais importantes personagens da cultura popular das últimas décadas. A notícia foi avançada este domingo pelos seus agentes.

“É com grande pesar e tristeza e com tristeza de partir o coração, para nós e milhares de fãs em todo o mundo, que anunciamos a morte do nosso cliente Dave Prowse aos 85 anos”, escreveu a agência Bowington nas redes sociais.

David Prowse foi o homem atrás da máscara de um dos maiores vilões da sétima arte, o temido Darth Vader de "Star Wars", nos filmes Uma Nova Esperança", "O Império Contra-ataca" e "O Retorno do Jedi".


O culturista e halterofilista britânico foi o escolhido, na década de 70 do século passado, para dar corpo a uma das personagens mais marcantes da ficção científica.

Prowse emprestou o corpo a Darth Vader mas, em parte devido ao seu sotaque carregado, a voz acabou por ficar a cargo do ator norte-americano James Earl Jones. George Lucas, o realizador de Star Wars, ainda pensou em Orson Welles, mas a escolha final recaiu em Jones.

"No, I am your father", proferida por Vader durante uma luta com Luke Skywalker, é uma das deixas mais conhecidas da história moderna do cinema.

Antes de Darth Vader, David Prowse já era conhecido no Reino Unido como "Green Cross Code Man", uma personagem que aparecia na televisão a promover a segurança rodoviária numa campanha direcionada às crianças.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.