Ministra reconhece "situação grave" nos cuidados intensivos e diz que dezembro vai ser difícil

26 nov, 2020 - 06:00 • (Renascença) e Rita Ferreira (Público)

Marta Temido aponta os mil internamentos como o número limite, mas aí já com prejuízo para os serviços de saúde. Nesta entrevista à Renascença e ao Público, prevê um dezembro difícil no combate à pandemia e, por isso, admite que possam ser adotadas mais restrições. A ministra revela ainda que mais de 500 funcionários públicos vão ajudar o SNS e rejeita falhas na vacinação contra a gripe sazonal, lembrando que a vacinação é para quem cumpra critérios.

RSS iTunes URL Embed E-mail Facebook Twitter Whatsup Comentários
Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • oswaldo da Motta
    26 nov, 2020 S. Pedro do Estoriol 23:52
    A Ministra da Saude diz que a vacinação contra a Gripe não está atrasada, para 'aqueles' que cumprem o risco elevado. Tenho 90 anos, tenho «stents., pacemaker, diabetes, cancer e há falta de vacinas no Centro de Saude, e continúo a espera da 'prometida telefonema'.