Tempo
|
Ribeiro Cristovão
Opinião de Ribeiro Cristovão
A+ / A-

A corrida para o Jamor

24 nov, 2020 • Opinião de Ribeiro Cristovão


Cumpriu-se a terceira eliminatória da Taça de Portugal já com os grandes do nosso futebol, mas sem surpresas de maior.

Sem surpresas de maior, apenas com alguns sustos à mistura, e apenas um tomba gigantes, a União Desportiva de Leiria, que conseguiu reviver os seus belos tempos afastando o Portimonense da prova rainha do calendário nacional.

Quanto aos sustos, Sporting de Braga e Vitória de Guimarães foram os principais protagonistas: os bracarenses desembaraçaram-se com dificuldade do Trofense, enquanto os seus vizinhos vimaranenses tiveram de fazer horas extraordinárias para levar de vencida a aguerrida equipa do Arouca.

Dos três grandes a história não reza muito: o Benfica saiu de Paredes depois de ali ter produzido uma exibição sem brilho e com um resultado tangencial, enquanto o Futebol Clube do Porto reviveu históricas jornadas no Lavradio, onde a ex-Cuf acabou por não ser capaz de lhe criar grandes dificuldades. Convirá no entanto acrescentar que em nenhum dos casos, águias e dragões se apresentaram com as suas formações principais.

Já o Sporting Clube de Portugal, auto-dispensado das competições europeias, e por isso com mais tempo para preparar os jogos a disputar cá no burgo, não se dispensou de alinhar com os melhores, trazendo à memória o “desastre” de há um ano em jogo com o Alverca.

E também porque a equipa de Rúben Amorim já atingiu patamares muito interessantes, acabou por não ser difícil “atropelar” o Sacavenense com um score que certamente muito contribuirá para cimentar a “estado de alma” que tem estado à vista de todos nestas últimas semanas.

Mais do que correr para o Jamor de novo, os leões vão agora reatar o seu compromisso com o campeonato já no próximo sábado à noite.

Veremos com que “cara” é que os leões se apresentam frente ao Moreirense.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.