Tempo
|
Euranet
Decidir Europa
Todas as semanas, um convidado especial fala sobre os grandes temas da Europa e do mundo no programa "Decidir Europa", com edição do jornalista José Bastos.
A+ / A-
Arquivo
Gil Nadais e a mobilidade sustentável
Gil Nadais e a mobilidade sustentável

Decidir Europa

Gil Nadais e a mobilidade sustentável

20 nov, 2020 • José Bastos


Presidente da ABIMOTA olha para o futuro da indústria em que Portugal é campeão europeu.

Agora é para valer: a bicicleta deve passar a ser um dos principais meios de transporte nas cidades. Em tempos de pandemia, o distanciamento social é o novo dogma urbano ao lado da mobilidade sustentável. A bicicleta permite cumprir na íntegra os dois mandamentos da modernidade.

A aposta nas duas rodas é uma das chaves para garantir o distanciamento que, seguramente, se manterá depois de 2020. Um estudo da Universidade de Harvard antecipando as dinâmicas de contágio da Covid até 2025, publicado na revista Science adverte que esta forma de autocuidado será necessária até 2022. Nesse cenário a bicicleta desempenhará um papel de primeiro plano alerta a OMS, Organização Mundial de Saúde.

“Sempre que seja possível, considere circular de bicicleta. Proporciona distanciamento físico enquanto cumpre com o requisito mínimo para a atividade física diária que pode ser mais difícil, devido ao aumento do teletrabalho e o acesso limitado ao desporto e outras atividades recreativas”, aconselha a OMS.

Por outro lado, antecipa-se “um regresso à normalidade” a ser “mais verde”, porque, justamente a quarentena mostrou a sua face mais amável para o ambiente. Segundo um estudo da Nature Climate Change, as emissões de CO2 reduziram-se 17% em todo o mundo, quando vários países mantinham boa parte da mobilidade em mínimos.

Neste contexto em que a bicicleta é um meio de transporte sustentável, simples, acessível, fiável, limpo e ecológico que contribui para a sustentabilidade ambiental e com a Covid19 por pano de fundo, é o meio de transporte mais seguro para evitar a transmissão, Portugal passou a ser o maior fabricante europeu na fileira das duas rodas.

Já a Comissão Europeia distinguiu esta semana o projeto Portugal Bike Value com o Grande Prémio de Apoio à Internacionalização, sublinhando uma indústria marcada pela inovação, tecnologias de ponta e empreendedorismo.

Como enfrenta o setor o desafio da Comissão Von der Leyen da descarbonização da economia em 2050? É uma das perguntas para Gil Nadais, secretário geral da ABIMOTA, Associação das Indústrias de Duas Rodas.

Este conteúdo é feito no âmbito da parceria Renascença/Euranet Plus – Rede Europeia de Rádios. Veja todos os conteúdos Renascença/Euranet Plus

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.