Tempo
|
A+ / A-

"A Economia de Francisco"

"O lucro é a única religião que temos", denuncia Nobel da Paz Muhammad Yunus

20 nov, 2020 - 18:06 • Aura Miguel

"Passa-se o mesmo com a vacina contra a Covid-19, acrescenta o economista bengali, criticando a "situação lamentável" em que há países a comprar mais vacinas do que precisam enquanto os mais pobres não têm acesso garantido.

A+ / A-

O prémio Nobel da Paz, Muhammad Yunus, criador do microcrédito, denunciou esta sexta-feira “a maximização do lucro como única preocupação do mundo da finança e dos negócios”, apontando comoprova a atual corrida à vacina contra a Covid-19.

“Construímos um mundo onde 1% da população mundial detém 99% da riqueza mundial e o mundo financeiro é responsável por isto”, disse Yunus, numa intervenção online. “O lucro é a única religião que temos. E passa-se o mesmo com a vacina anti-Covid."

Durante o encontro virtual "A Economia de Francisco", o economista denunciou o que diz ser "uma situação lamentável" no que toca às vacinas, "em que as empresas competem entre si para ter um festival de super lucro", com "países que as estão a comprar em grande número, três ou quatro vezes mais doses do que as que realmente precisam, enquanto os países pobres continuam sem acesso a essas vacinas”.

Entre dezenas de intervenções, o ex-sacerdote brasileiro Leonardo Boff, líder da teologia da libertação, defendeu a “responsabilidade socio-ecológica” com base em “ações territoriais”, a partir das duas últimas encíclicas “Laudato Si” e Fratelli Tutti”.

A profunda ligação entre questões ambientais e desenvolvimento sustentável foi o tema abordado pela ativista indiana Vandana Shiva Com mais de 20 livros publicados sobre autonomia alimentar e métodos de desenvolvimento sustentável na agricultura, Vandana Shiva elogia os esforços do Papa Francisco no combate à “Economia da Indiferença”.

Para Shiva,”o melhor princípio económico é o que São Francisco de Assis nos deu: só dando é que se recebe”. E lamentou que, nos dias de hoje, o conceito de economia esteja reduzido apenas ”a uma máquina de fazer dinheiro, sempre mais e mais, sem devolver nada aos mais pobres da sociedade”.

Os trabalhos e encontros via streaming, agrupados em várias “aldeias temáticas”, prosseguem ao longo desta noite e manhã de sábado, numa espécie de maratona “around the clock, around the world”, em função dos fusos horários dos 120 países que aderiram a este projeto do Papa Francisco.

O encontro “A Economia de Francisco” terminará com uma mensagem-vídeo do próprio Papa, prevista para sábado às 16h30 em Portugal continental.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+