Tempo
|
A+ / A-

Centenário dos escritores Clarice Lispector, Mario Benedetti e Olga Orozco assinalado em Lisboa

19 nov, 2020 - 06:40 • Lusa

Ciclo "Três vezes Cem" realiza-se nos dias 23 a 27 deste mês.

A+ / A-

O centenário de três autores latino-americanos, Clarice Lispector, Olga Orozco e Mario Benedetti, é assinalado este mês, com o ciclo "Três vezes Cem", pela Casa da América Latina (CAL), em Lisboa.

O ciclo "Três vezes Cem" realiza-se nos dias 23 a 27 deste mês, com curadoria do conselheiro cultural na embaixada de Portugal em Bogotá, Pedro Rapoula.

No dia 23, o ciclo abre pelas 18h00, com leituras de obras dos três autores por Emília Silvestre, Francisco Gomes e Filipa Leal, acompanhados por Carla Algeri no bandoneón.

De 24 a 26, propõem-se "conversas virtuais" sobre a obra dos três autores, a partir da página da CAL, na rede social Facebook.

Entre outros, nestas conversas participam o norte-americano Benjamin Moser, autor de "Porquê Este Mundo - Uma Biografia de Clarice Lispector", que lhe valeu o Prémio Itamaraty de Diplomacia Cultural, concedido pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros do Brasil, a investigadora Clara Rowland, da Universidade Nova de Lisboa, cantora uruguaia Diane Denoir, que foi amiga de Mario Benedetti, o escritor Rafael Courtoisie, jornalista e poeta uruguaio, vencedor em 2014 do Premio Casa de América de Poesía Americana, e a escritora Hortênsia Campanella, autora de "Mario Benedetti, um mito discretíssimo".

O ciclo encerra com uma conversa com o escritor Alberto Manguel, nascido na Argentina há 72 anos, atualmente com a nacionalidade canadiana, que prepara a doação da sua biblioteca pessoal a Lisboa, para um futuro Centro de Estudos de História da Leitura (CEHL).

A conversa será conduzida pelo jornalista Pedro Santos Guerreiro, que dirigiu o Jornal de Negócios e o semanário Expresso.

Clarice Lispector (1920-1977), de ascendência judia, nasceu na Ucrânia naturalizou-se brasileira e escreveu toda a sua obra em português.

A argentina Olga Orozco (1920-1999) estreou-se literariamente em 1946 com o livro "Desde Lejos".

O uruguaio Mario Benedetti, nascido em Paso de Los Toros em 1920, morreu em maio do ano passado, e fez parte do denominado movimento cultural "Geração 45", ao lado de nomes como Idea Vilariño e Juan Carlos Onetti.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+