Tempo
|
A+ / A-

Médio Oriente

Refugiados cristãos regressam ao Iraque

18 nov, 2020 - 16:14 • Ana Lisboa

Obrigados a fugir devido à perseguição por parte do autoproclamado Estado Islâmico, mais 200 famílias voltam para Mossul e Planície do Nínive.

A+ / A-

Seis anos depois de terem sido obrigadas a fugir de suas casas pelo Estado Islâmico, cerca de 200 famílias cristãs estão de regresso às suas casas na cidade de Mossul e em diversas localidades da Planície de Nínive, no Iraque.

Este grupo de deslocados encontrava-se refugiado na região autónoma do Curdistão iraquiano, de acordo com informação avançada pela Fides, a agência de notícias do Vaticano.

A informação foi confirmada pelo Governador da Província de Nínive, segundo o qual "pelo menos 90 famílias já regressaram aos seus lares na cidade velha e no lado este de Mossul, e as restantes 110 regressarão nas próximas semanas, tendo sido asseguradas as condições de segurança e habitabilidade necessárias".

Estas famílias estavam deslocadas desde o Verão de 2014, altura em que Mossul e grande parte da província de Nínive ficaram sob o controlo das milícias terroristas.

Em setembro de 2017, poucas semanas depois da libertação definitiva de Mossul do regime imposto pelo Estado Islâmico, as autoridades locais anunciaram o regresso de cerca de 1.400 famílias cristãs.

Um estudo do Movimento Democrático Assírio revelou que foram quase 120 mil os cristãos forçados a fugir.

Entretanto, no último domingo, o ministro iraquiano das Migrações anunciou que os campos de refugiados nas províncias de Kirkuk, Salah Al-Din e Anbar seriam encerrados no início de 2021 como parte do plano de realojar as pessoas deslocadas.

Por seu turno o Observatório Euro-Mediterrâneo de Direitos Humanos já alertou as autoridades do Iraque que a decisão de encerrar campos de refugiados "poderá deixar centenas de milhares de pessoas deslocadas sem abrigo, visto que as suas casas foram destruídas durante os conflitos com o Estado Islâmico e em algumas dessas áreas ainda nem sequer foi reposto o fornecimento de água e eletricidade".

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+