Tempo
|
A+ / A-

Morreu o padre Manuel Horácio Alves Gomes, após ter contraído Covid-19

06 nov, 2020 - 17:04 • Agência Ecclesia

Sacerdote da Congregação da Missão (Vicentinos) era pároco de Lagares, Pombeiro e Vila Fria, em Felgueiras.

A+ / A-

O padre Manuel Horácio Alves Gomes, pároco de Lagares, Pombeiro e Vila Fria (Felgueiras), faleceu aos 83 anos de idade, anunciou a Província Portuguesa da Congregação da Missão.

“Na manhã desta sexta-feira, 6 de novembro de 2020, no Seminário de São José, em Lagares – Felgueiras, o padre Manuel Horácio Alves Gomes CM terminou a sua peregrinação na terra e partiu para a Casa do Pai, vítima de paragem cardiorrespiratória, após ter testado positivo à COVID-19”, refere um comunicado enviado à Agência Ecclesia.

A Província Portuguesa dos Vicentinos informa que, devido à atual situação de pandemia 19, “não será celebrada Missa exequial”.

O sacerdote vai ser sepultado no Cemitério de Cucujães, sua terra natal.

A Missa do Sétimo Dia, presidida por D. Manuel Linda, bispo do Porto, será celebrada no dia 14 de novembro, às 11h00, na igreja de Nossa Senhora de Fátima, em Lagares (Felgueiras).

“A Província Portuguesa da Congregação da Missão, a sua família e as paróquias onde servia unem-se agora em oração e agradecem a Deus pelo seu ministério sacerdotal e pelo dom da sua vida”, assinala o comunicado dos Vicentinos.

O falecido sacerdote nasceu em 1937; trabalhou como missionário em Moçambique e especializou-se em Sociologia, nos EUA.

Em Portugal, trabalhou na Diocese de Portalegre-Castelo Branco e na Diocese do Porto, onde veio a falecer, numa das zonas mais afetadas pela atual pandemia.

“Acaba de falecer o primeiro sacerdote do Porto vítima de Covid-19”, escreveu esta manhã D. Manuel Linda, na sua conta do Twitter, pedindo orações pelo padre Manuel Horácio Alves Gomes.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+