Tempo
|
A+ / A-

​Seat Leon FR. Um leão espanhol com raça

02 nov, 2020 - 23:06 • José Carlos Silva

A Seat tem no Leon um dos seus maiores trunfos. A versão FR refina o modelo, acrescentando-lhe raça. E com um sistema Mild-hybid reduz os consumos.

A+ / A-

A Seat tem no Leon um dos seus maiores trunfos. A versão FR refina o modelo, acrescentando-lhe raça. E com um sistema Mild-hybid reduz os consumos.

O modelo a teste é o Seat Leon eTSI FR. Com um motor 1.5 litros a gasolina e 150 cavalos de potência.

Após um primeiro contacto em maio, a Seat disponibilizou para a Renascença este modelo, que testámos num percurso de cerca de 500 quilómetros.

Não arranca olhares quando passa, apesar de alguns pormenores serem claramente identificativos de que este é um automóvel novo, a estrear. A inscrição Leon ocupa boa parte do portão traseiro, e há uma assinatura luminosa a toda a extensão da bagageira.

A frente é agressiva, com óticas trapezoidais. Não é uma viatura arredonda, mas até certo ponto dá ares de o ser.

Interior

Confortável, tem a capacidade de transportar tranquilamente quatro adultos, e uma criança, se for no lugar do meio dos bancos traseiros. Há espaço mais do que suficiente para as pernas e acolhe em qualquer dos assentos, quem tenha até 1,80 metros de altura. O espaço é um dos grandes trunfos deste Seat Leon.

Apresenta uma boa iluminação interior, com destaque para o friso nas portas dianteiras, que utiliza igualmente como avisador de veículos à esquerda ou à direita, muito útil nos ângulos mortos.

Uma opção que surge como menos intrusiva que uma luz nos espelhos laterais, e que está a ser adotada para outros modelos produzidos em Martorell.

Destaque também para os difusores de ar que retomam a imagem trapezoidal das óticas, transmitindo-lhe, coerência.

Quanto aos materiais, são em muitos casos, melhores que os utilizados nalguns modelos da marca que dá nome ao grupo VW.


Motor

Eficaz. Sem ser “um poço de potência”, os 150 cavalos da versão FR chegam e sobram para um uso diário, e para uns passeios em família, sem preocupações de maior no que a recuperações e ultrapassagens diz respeito.

A direção é precisa, e a caixa DSG dispensa comentários adicionais. A suspensão é firme sem ser dura o que lhe confere um bom comportamento em curva e transmite estabilidade.

O consumo é outra cartada forte deste Seat Leon. A média de 500 quilómetros por nós realizada foi de 5,7 litros aos 100. Para que contribui decisivamente o sistema Mild-hybrid.

A versão testada apresenta um preço de 39.800 euros, com quase 4.400 euros de extras.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.