Tempo
|
A+ / A-

Fafe em emergência municipal devido a "grande número de casos" Covid-19

29 out, 2020 - 10:54 • Olímpia Mairos

Os cemitérios estão encerrados entre 31 de outubro e 2 de novembro e haverá mais policiamento nas ruas.

A+ / A-

Veja também:


O concelho de Fafe está em situação de emergência municipal. O anúncio foi feito pelo presidente da Câmara através de um vídeo publicado nas redes sociais do município.

“Fafe, à semelhança do que se está a passar na região, apresenta uma evolução grande no número de casos e na rapidez com que esses casos aumentam. Nunca tivemos, desde o início da pandemia, uma situação como atualmente estamos a viver”, afirma o autarca Raúl Cunha.

O concelho registou um aumento de 195 casos nos últimos sete dias, subindo para 567 o número de casos acumulados desde março. E, segundo o presidente da autarquia, “está em vigésimo lugar dos municípios da região Norte com maior taxa de progressão da doença”.

Neste contexto, em articulação com as diferentes entidades da comissão de proteção civil municipal, que integra bombeiros, setor da saúde e forças da autoridade, a autarquia decidiu encerrar os cemitérios nos próximos dias 31 de outubro, 01 e 02 de novembro.

De acordo com o autarca, o contexto em que tem acontecido o aumento de casos “não é um contexto que resulte de acontecimentos de surtos, em lares, fábricas ou instituições”.

“Este aumento de casos é espalhado pela comunidade, um pouco por todo o lado. Por isso, temos de atuar, impedindo a aglomeração de pessoas. E o local onde há mais probabilidade de aglomerado nos próximos dias é no cemitério. E esta necessidade vai contra o que queríamos fazer. Mas respondendo a esta situação, há necessidade de encerrar os cemitérios”, observa o presidente da autarquia de Fafe.

No âmbito da situação de emergência municipal, o autarca informa também que haverá um aumento da fiscalização policial nas ruas, “não para punir por punir, mas para, de uma forma pedagógica, desincentivar e ir atuando naqueles locais onde à partida se conhece que há aglomerados de pessoas”.

Foi também decidido que, “a partir de agora, a comissão de proteção civil começará a estar em contacto permanente para avaliar a evolução da situação e tomar, com tranquilidade e rigor, as medidas que se vierem a revelar necessárias”.

A terminar, o presidente da Câmara de Fafe apela à população para que cumpram as regras sanitárias estipuladas pela Organização Mundial de Saúde e pela Direção Geral de Saúde, como o uso de máscara, a higienização das mãos e distanciamento social.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+