Tempo
|
A+ / A-

Luís Filipe Vieira vence eleições do Benfica

29 out, 2020 - 02:06 • João Fonseca com Redação

Dirigente de 71 anos foi reeleito para o sexto mandato na presidência do Benfica. Vieira amealhou 62,59% dos votos, seguido de Noronha Lopes, com 34,71%, e Rui Gomes da Silva, com 1,64%.

A+ / A-

Luís Filipe Vieira foi reeleito, esta madrugada, presidente do Benfica, confirmou a Renascença.

"É vencedor destas eleições a lista A, com 471,670 votos, percentagem de 62,59%. FIcou em segundo lugar a lista B [Noronha Lopes] com 261,574 votos, com percentagem de 34,71%. Em terceiro lugar ficou a lista D [Rui Gomes da Silva] com 12,341 votos, percentagem de 1,64%. Total de votos em branco são 8.003", confirmou, posteriormente, Virgílio Duque Vieira.

Um total de 22.787 sócios votaram em Luís Filipe Vieira, Noronha Lopes amealhou o voto de 14.337 sócios e 603 sócios votaram em Rui Gomes da Silva. 375 sócios votaram em branco.

Em declarações após a tomada de posse, Luís Filipe Vieira apelou à união no Benfica: "Vencer as eleições com maior número de sócios a votar é um orgulho. Resultados são claros, espero que todos assumam a sua responsabilidade. Somos mais fortes juntos, mais fortes quando não nos dividimos, é um dos desafios mais importantes para os próximos quatro anos. A partir de agora, não há vencedores, nem vencidos. Só benfiquistas que vão unir esforços para construir futuro do nosso clube", diz.

O dirigente de 71 anos venceu as eleições mais concorridas da história do clube. Mais de 38 mil sócios votaram ao longo de quarta-feira, umas eleições que se prolongaram pela madrugada.

Anteriormente, as eleições com maior afluência tinham sido em 2012, quando Luís Filipe Vieira bateu Rui Rangel, com 22.676 sócios votantes.

Vieira é o presidente com mais tempo na liderança do Benfica, depois de ter sido eleito pela primeira vez há 17 anos, em 2003.

Nos anteriores cinco atos eleitorais, Vieira tinha sido sempre eleito com uma percentagem de votos acima dos 80%, com 90,47% em 2003, frente a Jaime Antunes (7,32%) e Guerra Madaleno (0,7%), 91,74% em 2009, perante Bruno Costa Carvalho (2,71%), e 83,02% em 2012, diante Rui Rangel (13,83%).

Nos outros dois sufrágios, em 2006 e 2016, Vieira foi candidato único, tendo acolhido, respetivamente 95,6% e 95,52% dos votos.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Cidadao
    29 out, 2020 Lisboa 08:38
    Começo por dizer que votei contra si. Mas estou em minoria: os meus "confrades" veem em si, aquilo que eu não vejo. Mas agora terminadas as eleições, é o presidente do meu clube. Espero que o que disse seja verdade: que este, é o seu último mandato e a tónica será não nas construções, não nas vendas e comissões, não na destruição sistemática da equipa, não no "seixal basta", mas na hegemonia interna e no sucesso na Europa. Cá estarei para denunciar sempre que se afastar do que prometeu. Parabéns e boa sorte