Tempo
|
A+ / A-

Ovar ativa plano de emergência devido a "aumento significativo" de Covid-19

27 out, 2020 - 10:20 • Cristina Nascimento

Medida entrou em vigor esta terça-feira e prolonga-se por tempo indeterminado.

A+ / A-

Veja também:


O munícipio de Ovar decidiu ativar o plano municipal de emergência de Proteção Civil devido ao "aumento significativo do número de casos de infeção" por Covid-19.

A medida entrou em vigor às 00h00 desta terça-feira e vai manter-se em vigor "enquanto a evolução epidemiológica da doença Covid-19 o justificar", lê-se no despacho emitido pela autarquia.

No despacho, a autarquia refere que a tendência de aumento de casos no país e na Europa, nas últimas semanas, tem-se verificado também no município, sendo que nesta altura já se registaram mais de 140 casos ativos.

O último boletim epidemiológico da autarquia referia esta segunda-feira o aparecimento de "30 novos casos de covid-19" no espaço de 24 horas, o que perfazia um total de 143 casos ativos no município - que abrange um território com cerca de 55.400 habitantes e 148 quilómetros quadrados.

A autarquia decidiu ainda reativar o gabinete de crise, com a composição que vigorava a 17 de março de 2020.

No despacho lê-se ainda que o município mantém aberta a adotar outras medidas preventivas, de acordo com a avaliação da evolução epidemiológica.

Ovar foi um dos concelhos mais afetados durante o início da pandemia em Portugal, tendo sido sujeito a um cerco sanitário.

De acordo com o boletim diário da Direção-Geral da Saúde, de segunda-feira, nas útlimas 24 horas Portugal contabiliza mais 27 mortos relacionados com a Covid-19 e 2.447 novos casos confirmados de infeção. Desde o início da pandemia, já foram confirmados 121.133 casos confirmados de infeção da doença.

A partir de quarta-feira, passa a ser obrigatório usar máscara na rua, de acordo com o diploma já publicado em Diário da República.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+